Topo

"Profundamente abalado", diz Temer sobre ataque em Catedral de Campinas

Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

11/12/2018 18h16Atualizada em 12/12/2018 09h27

O presidente Michel Temer (MDB) lamentou, nesta terça-feira (11), o atentado que aconteceu ao final de uma missa na Catedral Metropolitana de Campinas (SP), onde um homem identificado como Euler Fernando Grandolpho, 49, matou quatro pessoas, feriu outras quatro e depois se suicidou. Ele não tinha antecedentes criminais. 

As quatro vítimas são: Sidnei Vitor Monteiro, José Eudes Gonzaga, Cristofer Gonçalves dos Santos e Elpidio Alves Coutinho. A idade dos mortos não foi revelada.

Das quatro pessoas feridas, três já tiveram alta. Heleno Severo Alves, 84, foi atingido no tórax e no abdômen e às 17h estava no centro cirúrgico em estado muito grave.

Por meio de seu Twitter, Temer se disse "profundamente abalado com a notícia" do crime. "Apresento minhas condolências aos familiares das vítimas. E rezo para que os feridos tenham rápida recuperação", publicou o presidente. 

O governador eleito do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), também prestou solidariedade pelo Twitter aos familiares das vítimas.

À noite, foi a vez de o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), se pronunciar pelas redes sociais.

Ele afirmou estar acompanhando as investigações, chamou o ataque de "crime bárbaro" e expressou solidariedade às vítimas e aos familiares. 

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), também usou o Twitter, na noite desta terça, para se solidarizar com as famílias das vítimas. "Só por Deus, posso aceitar tragédias como a de Campinas hoje. Às vítimas e familiares nossa solidariedade e a palavra: "O Senhor está perto dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito abatido" - Salmos 34:18. Estou em oração pelas vítimas", escreveu.

Por volta das 13h da tarde, como mostram imagens de uma câmera interna da catedral, o atirador estava sentado em um banco aos fundos da igreja, levantou-se e começou a efetuar disparos nas pessoas que se encontravam ali dentro. 

A PM diz que, enquanto atirava, o homem foi atingido por um disparo de um policial e, ferido, suicidou-se. Com o atirador foram apreendidas duas armas: um revólver calibre 38 e uma pistola.

Mais Cotidiano