Topo

Moradores de Brumadinho protestam e pedem fim da mineração no município

Raquel Arriola e Wellington Ramalhoso

Em Brumadinho (MG)

2019-01-27T15:49:49

27/01/2019 15h49

Moradores de Brumadinho (MG) fizeram um protesto contra a Vale neste domingo (27) e pediram o fim da mineração no município. A manifestação aconteceu na praça do bairro Casa Branca, perto da barragem que se rompeu na sexta-feira (25).

No sábado (26), a população do bairro também realizou um ato. "As manifestações que estamos fazendo são contra a exploração minerária predatória e contra esse governo [estadual], que permite que desastres como esse aconteçam", afirmou Maíra do Nascimento, integrante do Movimento Águas e Serras de Casa Branca.

"A gente já vinha alertando sobre isso [o risco da barragem] há anos. Éramos tidos como loucos e chatos. Ninguém nos escutou. E isso nos deixa indignados", disse Maíra, que é publicitária.

Para os manifestantes, apesar da importância econômica da mineração, é preciso interrompê-la. "A mineração é uma escolha de prefeito preguiçoso. Prefeito bom diversifica a economia, dá espaço para o turismo, para a agricultura familiar e a agrofloresta, atividades que trazem vida e distribuem recursos. Agora, minar a terra para meia dúzia terem lucros e irem embora deixando a terra dizimada é pior que o Holocausto [genocídio de judeus na Alemanha nazista]. É a morte lenta", declarou a coach e consultora empresarial Maria Clara Paiva Izidoro.

"O histórico de municípios que dependem da mineração não condiz com o desenvolvimento que ela poderia trazer. A mineração enriquece poucos, e eles não estão interessados no resto da população", reforçou Maíra. "Brumadinho tem um potencial turístico gigantesco e poderia explorá-lo muito mais."

Falta de informação causa revolta em familiares de desaparecidos

UOL Notícias

Para Maria Clara, o caso de Brumadinho atesta a existência de falhas por parte da Vale e tem que ser tratado como crime ambiental. "Se não houve dolo, houve incompetência".

Se os laudos técnicos da empresa não apontavam risco de rompimento, argumentou Maia Clara, a empresa errou, e todas as suas avaliações podem ser contestadas. "Os grandes acionistas tomam decisões atrás de uma mesa. Poucas vezes foram a campo e conheceram os riscos", afirmou a consultora. "Onde existe comunidade [próxima] não pode haver mineração".

Dia normal em bairro turístico

Casa Branca fica no lado leste de Brumadinho, entre o parque estadual do Rola Moça e a área de mineração.

Com trilhas e cachoeiras, o bairro tem pousadas e restaurantes que tiveram um fim de semana de bom movimento de turistas, segundo empresários locais, apesar da proximidade do local com a tragédia.

Algumas pousadas receberam famílias desabrigadas do Córrego do Feijão, a comunidade mais afetada pelo rompimento das barragens.

Mais Cotidiano