Topo

Sobrevivente trabalhava perto da barragem e diz ter visto o rompimento

Raquel Arriola e Wellington Ramalhoso

Do UOL, em Brumadinho (MG)

26/01/2019 22h32Atualizada em 27/01/2019 09h53

Funcionário da Vale, Márcio Pampulini Filho é um dos sobreviventes da tragédia de Brumadinho (MG). Na empresa há 11 anos, ele conta que fazia manutenção em equipamentos em uma área acima da barragem. O trabalho demorou e ele se atrasou para ir até o refeitório da companhia.

"Estava um pouco acima com três ou quatro amigos e demoramos um pouco para ir para o refeitório. Na medida em que a gente foi descendo, a gente viu a barragem acabando de se romper. Só barro. Acabou tudo", disse. 

A onda de lama destruiu o refeitório e o restante do centro administrativo da companhia. 

Pampulini afirmou que desconhecia o risco de rompimento da barragem do córrego do Feijão. "Se soubesse que isso aconteceria, eu não estaria lá, não trabalharia na Vale", afirmou. 

Arte UOL
Imagem: Arte UOL

O funcionário da mineradora chegou a constar como desaparecido nas listas divulgadas à imprensa e procurou as autoridades para avisar que sobreviveu.  

Pampulini diz ter esperança de que companheiros de trabalho sejam localizados. "Quando a gente vê um amigo na rua, fica emocionado por saber que também está vivo", diz. "Estamos atrás de muitos amigos ainda. Toda hora chega informação de que alguém está desaparecido".

Veja o caminho percorrido pela lama da barragem de Brumadinho

UOL Notícias

Mais Cotidiano