Topo

Ricardo Boechat morre em acidente de helicóptero em São Paulo

Leonardo Martins e Mirthyani Bezerra

Do UOL, em São Paulo

2019-02-11T12:43:24

2019-02-11T16:27:33

11/02/2019 12h43Atualizada em 11/02/2019 16h27

O jornalista e apresentador do Jornal da Band, Ricardo Boechat, de 66 anos, morreu na tarde desta segunda-feira (11). Ele estava em um helicóptero que caiu sobre um caminhão no km 22 da rodovia Anhanguera, no sentido Jundiaí, próximo ao pedágio Jardim Jaraguá, na Grande São Paulo, por volta do meio-dia de hoje. O piloto do helicóptero Ronaldo Quattrucci também morreu no local. 

O acidente aconteceu logo abaixo do km 7 do viaduto do Rodoanel. Os corpos dos dois foram encontrados carbonizados e já foram levados para o IML (Instituto Médico-Legal). Inicialmente, o Corpo de Bombeiros havia anunciado que o piloto e o copiloto da aeronave estavam entre as vitimas. 

O porta-voz da Polícia Militar, capitão Paiva, afirmou que o helicóptero teria tentando pousar em uma das alças de acesso da Anhanguera, mas acabou colidindo com o caminhão, que havia acabado de passar pelo pedágio na via. "Preliminarmente, acredita-se que o caminhão estava em velocidade baixa, porque ele tinha acabado de passar pelo pedágio", diz. Ainda segundo ele, o helicóptero pertence a uma companhia de táxi aéreo cujo dono seria o próprio piloto da aeronave.

Bruno Santos/Folhapress
O jornalista Ricardo Boechat Imagem: Bruno Santos/Folhapress

A morte de Boechat foi anunciada pelo apresentador José Luiz Datena, durante a transmissão do programa Os Donos da Bola, da Band. "Jamais achei que daria esta notícia...É um momento muito triste para o grupo Bandeirantes", lamentou Datena, que informou que o apresentador do Jornal da Band estava em Campinas. "O helicóptero que ele estava não chegou ao seu destino que era o heliponto da Band. Caiu no Rodoanel", afirmou.

Chorando, o apresentador fez elogios ao amigo. "O Boechat era o maior jornalista do país pela sua coragem, pela sua forma de combater a corrupção, pela sua forma de combater as injustiças, era hoje uma das grandes referências da história da televisão brasileira. A gente se pergunta se era essa a forma de terminar", disse.

Reprodução/Globo News
Helicóptero cai sobre caminhão na rodovia Anhanguera Imagem: Reprodução/Globo News

O motorista do caminhão foi socorrido pela CCR, concessionária da rodovia, com ferimentos leves, segundo o porta-voz dos bombeiros, o capitão Marcos Palumbo. Dez viaturas foram enviadas para o local e o fogo já foi extinto.

A concessionária informou que a alça de acesso para rodovia Anhanguera está liberada e não há registro de lentidão no trecho do acidente.

Investigações 

As causas do acidente ainda são desconhecidas ainda são desconhecidas. O helicóptero de modelo Bell e prefixo PT-HPG pertence a empresa RQ Serviços Aéreos Especializados, segundo informações encontradas no sistema da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Trata-se de um helicóptero com motor turboeixo, com 1,2 tonelada, com ano de fabricação de 1975.

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Ainda segundo a Anac, a situação de aeronavegabilidade do helicóptero era normal --ou seja, teve condição técnica apta ao voo atestada e aprovada. O certificado de aeronavegabilidade tinha validade até maio de 2023. Ela passaria pela inspeção anula em maio deste ano. 

Segundo informações do site da empresa, o helicóptero comportavam até três passageiros e voava a uma velocidade de 170 km/h, podendo pousar em terra, grama e asfalto. O UOL tenta contato com a empresa por meio dos dois telefones disponíveis no site.

Felipe Arcanjo, motorista que dirigia pela rodovia Anhanguera no momento em que o helicóptero caiu, contou à rádio BandNews que a aeronave foi perdendo altura e que ele havia imaginado que fosse um pouso. Com escoriações leves, ele foi levado para o 46º Distrito Policial, em Perus, para prestar depoimento sobre o acidente. 

"A aeronave foi perdendo altura e foi direcionando justamente para o espaçamento do Rodoanel, onde há aquela vazão da pista debaixo. Então, percebi que ele foi perdendo altura. Pensei que fosse um pouso. Como estava muito rápido, a gente percebeu que era uma queda. Rapidamente surgiu muita fumaça escura", disse.

O Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) informou, por meio de nota, que investigadores do Seripa 4º (Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) realizam "ação inicial da ocorrência", que consiste na coleta de fotografias, retirada de partes da aeronave para análise, coleta de documentos e de relatos de testemunhas. "A investigação realizada pelo Cenipa tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram", diz a nota.

Além dos investigadores do Cenipa, peritos da Polícia Técnica Científica de São Paulo também estão no local. 

Engenheiros da CCR também estiveram na rodovia para verificar as condições da via e atestaram, segundo informações da Polícia Militar, que a Anhanguera não sofreu danos por causa do acidente. 

Manifestações de pesar

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) usou o Twitter na tarde desta segunda-feira (11) para manifestar o pesar com a notícia da morte do jornalista Ricardo Boechat, em acidente de helicóptero em São Paulo. O ex-presidente Michel Temer (MDB) também usou a mesma rede para prestar solidariedade à família do jornalista.

Amigo e colega de programa de Boechat, o também jornalista José Simão se manifestou nas redes sociais.