PUBLICIDADE
Topo

Moro envia força-tarefa a presídio alvo de massacres no AM

10.ago.2018 - Instalações do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, em janeiro de 2017, após rebelião que resultou na morte de 56 presos - Marlene Bergamo/Folhapress
10.ago.2018 - Instalações do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, em janeiro de 2017, após rebelião que resultou na morte de 56 presos Imagem: Marlene Bergamo/Folhapress

Leandro Prazeres

Do UOL, em Brasília

27/05/2019 18h46

O MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública) autorizou o envio de uma força-tarefa para intervir no Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), em Manaus (AM). No final de semana, uma rebelião na unidade terminou com pelo menos 15 mortos. O envio dessa força-tarefa foi feito no final da tarde de hoje (27).

No último final de semana, detentos do Compaj realizaram uma rebelião na unidade, um dos maiores complexos penitenciários da região Norte. Além do envio da força-tarefa, alguns detentos serão transferidos para presídios federais.

A rebelião começou durante o horário de visitas aos presos. Segundo o secretário de estado de Segurança Pública do Amazonas, Lousimar Bonates, alguns assassinatos aconteceram na presença dos parentes das vítimas.

Autoridades do governo do Amazonas afirmaram que irão analisar as imagens do circuito interno de TV para investigar a autoria das mortes.

De acordo com o MJSP, o Depen passou a coordenar esse tipo de força-tarefa como uma forma de apoiar os governos estaduais em meio a situações de crise no sistema penitenciário. Ainda não foi informada a quantidade de agentes que irão integrar essa força-tarefa.

Desde 2017, a área no entorno do Compaj contava com reforço policial da Força Nacional de Segurança Pública.

Cotidiano