Topo

Briga em fila de drive-thru tem empresário detido e batida de carro em SP

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

29/07/2019 15h54Atualizada em 29/07/2019 19h17

Um empresário de 27 anos foi preso depois de bater em um carro, provocar briga e quase atropelar outras pessoas em um drive-thru, de uma rede de fast-food, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, na madrugada de domingo.

O tumulto começou quando o empresário Milton Domingues Francisco, dirigindo uma Mercedes, chegou ao local e bateu na traseira de uma Tucson que aguardava na fila para a retirada do lanche. Segundo o boletim de ocorrência, testemunhas relataram que o empresário chegou em alta velocidade e cantando pneus.

O motorista do veículo atingido, que pediu para não ser identificado, estava acompanhado de sua mulher. Procurado pela reportagem, ele não quis dar mais detalhes sobre o que aconteceu.

Segundo o boletim de ocorrência, depois da colisão, o administrador desceu do veículo e começou uma discussão com o motorista do outro veículo. Além do empresário, duas jovens, ambas de 24 anos, estavam na Mercedes. Elas desceram do veículo após o começo da briga.

Toda a confusão foi filmada por pessoas que estavam próximas da fila. Nas imagens é possível ver que depois de um bate-boca o empresário tenta agredir o outro motorista, mas é contido por funcionários da rede de fast-food e por outras pessoas que estão no local.

Depois o empresário volta para o carro, acelera e quase atinge outras pessoas. Ele bate por, pelo menos, quatro vezes contra o outro veículo. Enquanto isso o administrador de empresas dá socos contra o carro do empresário.

Ainda segundo a ocorrência, o empresário tentou sair do local dando ré no veículo, mas não conseguiu devido à fila do drive-thru.

Durante a confusão, um funcionário conseguiu colocar o braço dentro do veículo, pela janela, e retira a chave do contato.

A polícia militar foi chamada e todos foram levados para a delegacia. Segundo o registro policial, o empresário apresentava sinais de embriaguez. Ele se negou a fazer o teste do bafômetro.

"Ele apresentava sinais nítidos de embriagues como hálito etílico, olhos vermelhos, fala embargada, coordenação motora prejudicada e vestes desordenadas, bem como a confissão de ingestão de bebida alcoólica, relatada por suas próprias amigas, ajudaram a formar a convicção de que ele estivesse embriagado", afirma Allan Soares, delegado de plantão que registrou a ocorrência.

O empresário foi preso em flagrante por embriaguez ao volante e liberado depois de pagar fiança de R$ 2.000. Ele vai responder em liberdade por danos e por dirigir após consumir bebidas alcoólicas.

A reportagem entrou em contato com Domingues Francisco por telefone, mas ele não quis comentar sobre o assunto.

Cotidiano