Topo

Comissão da UFRJ investiga 230 denúncias de fraudes em cotas

Alunos negros denunciaram colegas que estariam fraudando as cotas - Rogério Padula/Folhapress
Alunos negros denunciaram colegas que estariam fraudando as cotas Imagem: Rogério Padula/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

15/10/2019 16h25

Resumo da notícia

  • Estudantes teriam fraudado sistema de cotas para entrar na UFRJ
  • Em julho, alunos negros denunciaram com fotos cotistas brancos

As denúncias de fraudes nas cotas se multiplicam pelo país. Apenas a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) está investigando 230 denúncias de pessoas que teriam se valido das cotas de forma fraudulenta para entrar no ensino superior.

Para evitar as fraudes, a UFRJ instalou a Comissão de Heteroidentificação que vai investigar os casos denunciados.

Em julho deste ano, alunos negros da instituição colocaram fotos de colegas brancos que teriam ingressado na universidade fraudando o sistema de cotas.

Até então, a UFRJ apenas solicitava uma autodeclaração por parte dos alunos.

Em geral, os estudantes expostos por fraudes alegam possuir algum familiar pardo ou negro.

Além das universidades, as cotas também são utilizadas em concursos públicos.

Algumas outras instituições possuem bancas que avaliam presencialmente para determinar se os candidatos possuem os fenótipos raciais de uma pessoa negra. Há também casos de avaliação por vídeo ou foto.

Cotidiano