Topo

Cotas: audiência tem soco de deputado em estudante e homem armado na Uerj

Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

12/06/2019 12h30

Uma audiência realizada ontem na Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) para discutir um projeto de lei que prevê a extinção das cotas raciais em faculdades fluminenses terminou com trocas de socos entre estudantes e o deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL). Um homem armado, que compunha a comitiva do PSL que foi à universidade, foi gravado pela equipe da TVT, que fazia a cobertura jornalística da sessão. Nas imagens, o homem ameaça sacar a arma para conter os universitários.

Desde o início da audiência, parlamentares do PSL e estudantes entraram em atrito. Recebidos com gritos de "racistas", "fascistas" e "funcionários fantasmas", Knoploch, Rodrigo Amorim (autor do projeto de lei), Márcio Gualberto e Coronel Salema foram vaiados quando pediram para que o Hino Nacional fosse tocado antes do começo da sessão.

O pedido foi negado pelo deputado Waldeck Carneiro (PT), que preside a Comissão de Ciência e Tecnologia. Ele argumentou que a reprodução do hino só é obrigatória em sessões solenes.

Durante a sessão, os deputados bateram nas mesas em resposta aos gritos dos estudantes, que protestaram contra as suas falas e contra o projeto de lei. Amorim --conhecido por quebrar placa em homenagem à vereadora assassinada Marielle Franco (PSOL)--, Knoploch, Gualberto e Salema saíram escoltados do evento.

O registro em vídeo mostra Knoploch desferindo um soco em direção a um homem, enquanto saía da universidade. O agredido seria estudante da Uerj, conforme relatos nas redes sociais.

Enquanto o deputado saía da Uerj, um homem que o escoltava aparece com a mão em uma arma na cintura, ameaçando sacá-la em direção aos estudantes. No entanto, ao perceber que estava sendo gravado, ele se conteve.

Knoploch afirmou, por meio da sua assessoria, que "tentou um debate saudável desde o início do evento" e que reagiu depois de ter sido "cercado e sofrido uma agressão", o que não pode ser comprovado nas imagens.

Já Amorim afirmou, através de uma nota, que "a audiência realizada na Uerj foi um ato de extrema irresponsabilidade dos deputados que a promoveram, levando um evento oficial da Assembleia Legislativa para um verdadeiro circo de horrores". O parlamentar também afirmou que duas de suas assessoras foram alvos de agressão.

Os parlamentares não responderam se o homem que aparece armado nas imagens é, de fato, integrante do partido ou se trabalha no gabinete de algum dos deputados citados.

Política