PUBLICIDADE
Topo

Deputada recebe herança de homem que não conhecia para destinar à caridade

A deputada estadual Any Ortiz com o filho na assembleia - Reprodução/Facebook
A deputada estadual Any Ortiz com o filho na assembleia Imagem: Reprodução/Facebook

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

05/12/2019 11h39

O gabinete da deputada estadual Any Ortiz (Cidadania), do Rio Grande do Sul, recebeu uma ligação inesperada há cerca de um mês: do outro lado da linha, segundo a política, um escritório de advocacia informava que ela era beneficiária de uma herança. O detalhe é que Any sequer conhecia a pessoa que a citou em seu testamento.

Em entrevista ao UOL, Any contou que, quando recebeu o recado, pensou se tratar de um trote ou de uma pegadinha. "A gente sempre fica com o pé atrás", afirmou a deputada. "Foi uma das histórias mais inusitadas que já me aconteceu. Minha assessora recebeu essa ligação dizendo que eu era beneficiária de uma herança, que eu constava num testamento. Liguei para lá, falei com o advogado e me confirmaram a história".

Any diz que soube então que um senhor, um médico que ela prefere não identificar, havia morrido após um câncer que se desenvolveu rapidamente. Na hora de fazer o testamento, veio a menção a ela. "Ele deixou tudo o que tinha dentro do apartamento dele para mim, para eu dar um 'bom destino'".

Assim, móveis, eletrodomésticos e os demais utensílios de um grande apartamento da zona sul de Porto Alegre estão disponíveis, e serão colocados à venda em um bazar ou leilão.

Any foi ao apartamento para ver o que está disponível e já escolheu uma instituição para a doação. "Eu fiquei com um sentimento de felicidade, com o que aconteceu, mas também suspeita, porque queria entender como ele colocou no testamento", admite ela. "E o irmão dele, que é advogado, me disse que foi porque ele era fã do meu trabalho."

"O mais curioso é que fiquei pensando depois: ele nunca me procurou, nunca procurou o gabinete, é uma pessoa que nunca vi, nunca conversei, que acho que nunca cruzei, e ele deixou tudo isso para eu poder dar um destino. A ideia então é fazer esse bazar ou leilão para a instituição Casa do Menino Jesus de Praga, que cuida de jovens com dano cerebral severo e que atende 35 crianças, com capacidade para mais, mas que não tem recursos hoje para isso", explicou Any, que foi a deputada estadual mais votada entre as mulheres do Rio Grande do Sul em 2018.

Cotidiano