PUBLICIDADE
Topo

Homem é preso suspeito de agredir mulher e manter bebê como refém em SP

Homem manteve o sobrinho, um bebê de um ano e onze meses, como refém em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo - Divulgação
Homem manteve o sobrinho, um bebê de um ano e onze meses, como refém em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo Imagem: Divulgação

Juliana Arreguy

Do UOL, em São Paulo

13/12/2019 17h17Atualizada em 13/12/2019 18h11

Um homem foi detido pela Polícia Militar de São Paulo na manhã de hoje suspeito de agredir a mulher e manter o sobrinho de um ano e onze meses como refém durante mais de uma hora. O caso ocorreu em Itaquera, na Zona Leste da capital paulista.

A PM foi acionada por volta das 7h após receber uma denúncia de agressão. A vítima, que não teve a identidade revelada, conseguiu fugir após ter sido ferida com pedaços de vidro no braço direito e na perna esquerda; ela já tinha conseguido uma medida protetiva contra o suspeito anteriormente.

O homem manteve o sobrinho de um ano e onze meses como refém em casa. Cerca de 15 agentes foram enviados ao local para negociar a rendição dele, que ameaçava jogar o bebê pela varanda do terceiro andar caso a polícia adentrasse no recinto.

"Ele dizia que não queria ser preso, que ninguém deveria entrar ou ele atirava a criança. Tivemos que tomar muito cuidado. O bebê estava assustado e chorando", relatou ao UOL o soldado Bruno Figueiredo Wanderley, do 39º BP.

A residência fica localizada em uma rua sem saída no bairro Vila Regina. A via onde ela desemboca precisou ser isolada pelos policiais para que não houvesse intervenção nas negociações.

De acordo com o soldado, a rendição foi iniciativa do próprio suspeito, após uma hora e meia de negociação — a situação foi resolvida antes das 9h. A criança foi entregue ilesa aos policiais.

O homem foi levado para o 64º DP onde segue detido e foi autuado por ameaça (no caso da criança), lesão corporal e descumprimento de medida protetiva.

A mulher foi encaminhada para o Hospital Municipal Tide Setúbal, onde, de acordo com a corporação, recebeu atendimento e passa bem.

Cotidiano