PUBLICIDADE
Topo

Minas Gerais tem 44 mortes e 19 desaparecidos por causa das chuvas

25.jan.2020 - Chuvas causaram danos na avenida dos Andradas, em Belo Horizonte, MG, neste sábado, 25 - Luidgi Carvalho/Estadão Conteúdo
25.jan.2020 - Chuvas causaram danos na avenida dos Andradas, em Belo Horizonte, MG, neste sábado, 25 Imagem: Luidgi Carvalho/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

26/01/2020 18h41

O número de vítimas decorrentes das chuvas em Minas Gerais aumentou para 44 pessoas conforme boletim divulgado pela Defesa Civil do estado às 18 horas. O número de desaparecidos também cresceu e chegou a 19 pessoas.

Ainda de acordo com o balanço divulgado pelas autoridades mineiras na tarde deste domingo, 13.887 pessoas estão desalojadas -isto é, foram obrigadas a abandonar temporária ou definitivamente suas habitações. Outras 3.354 estão desabrigadas, ou seja, tiveram suas habitações afetadas por dano ou ameaça de dano.

Em muitas cidades a sensação é de que o pior passou, com o nível da água diminuindo em comparação aos últimos dias. Outra boa notícia é que o sistema de meteorologia informou que não haverá chuvas fortes nesta segunda-feira. Na terça-feira, pode chover até 100 milímetros no interior e equipes estão sendo deslocadas para um trabalho de prevenção.

Nos locais em que a água baixou, começou o trabalho de reconstrução. Há carência de materiais de limpeza, colchões e roupa de cama e doações estão sendo recebidas. Minas Gerais tem 99 cidades com situação de emergência decretada.

Ruas sujas e intransitáveis, casas que foram invadidas pela água e estão cheias de lama e muitas pessoas sem um teto.

Pela manhã, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, sobrevoou Minas Gerais e anunciou R$ 90 milhões em ajuda. Ele também falou em antecipação do FGTS e Bolsa Família.

Em coletiva no início da tarde deste domingo, o governador Romeu Zema (NOVO-MG) voltou a afirmar que várias das vítimas "não obedeceram" as determinações das autoridades.

"Há áreas que qualquer chuva maior pode ocasionar um deslizamento. Inclusive, muitas das vítimas que tivemos nesta semana foram porque não obedeceram aquilo que foi orientação dos bombeiros e da Defesa Civil. Uma das famílias onde nós perdemos quatro pessoas chegaram a desocupar a residência e depois voltaram. Então, esse tipo de fato é que nós realmente precisamos estar priorizando", afirmou o governador.

Cotidiano