PUBLICIDADE
Topo

Após 24 dias de fuga, acusados de matar brasileira nos EUA são presos

Policiais prenderam dupla depois de trabalho de monitoramento dos suspeitos - Divulgação
Policiais prenderam dupla depois de trabalho de monitoramento dos suspeitos Imagem: Divulgação

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

22/02/2020 16h44

Uma operação conjunta de polícias prendeu, na manhã deste sábado (22), dois homens acusados de matar uma brasileira nos Estados Unidos. Os detidos são brasileiros. Eles foram capturados em Cariacica (ES), após 24 dias da data do crime.

A Polícia Federal, que participou da investigação, considerou que eles realizaram uma "fuga cinematográfica". A motivação do crime ainda não foi revelada.

"Durante todo esse tempo, a dupla pressionou e extorquiu, tanto os próprios familiares quanto parentes da vítima, com o intuito de obtenção de recursos que os ajudassem na fuga", informou a PF em comunicado.

Ana Paula Braga, de 23 anos, foi assassinada em Los Angeles, na Califórnia, nos EUA, em 30 de janeiro. Segundo a Polícia Federal, seu corpo foi transportado dentro de seu próprio carro durante duas horas pelos criminosos até ser abandonado na cidade de Hot Springs.

"Ainda no automóvel da vítima, viajaram ao estado de Oklahoma, e mais tarde, de ônibus, para o Texas." A dupla fez uma travessia terrestre para o México. Chegaram à capital, Cidade do México. Dali, seguiram de avião até o Rio de Janeiro.

Em contato com policiais dos EUA para localizar os fugitivos, a PF passou a monitorar os acusados. Enquanto isso, o Departamento de Polícia de Los Angeles (LAPD, na sigla em inglês) investigava as circunstâncias do crime e da fuga.

Depois que a polícia confirmou que os dois estavam em Cariacica, foi montada uma operação de captura. A Justiça decretou a prisão temporária da dupla.

Homens do 7º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santos realizaram a detenção dos acusados de matar Ana Paula.

Além da PF, a ação contou com participação do Grupo Integrado de Operações de Segurança do Espírito Santo, do Ministério Público e de agentes internacionais.

Cotidiano