PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Réveillon no Rio terá shows em vários pontos da cidade, diz Crivella

Imagens são projetadas no Cristo Redentor durante queima de fogos no Réveillon 2020 em Copacabana, no Rio - Fernando Maia/Riotur
Imagens são projetadas no Cristo Redentor durante queima de fogos no Réveillon 2020 em Copacabana, no Rio Imagem: Fernando Maia/Riotur

Do UOL, em São Paulo

05/08/2020 13h16Atualizada em 05/08/2020 13h44

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), confirmou hoje que o réveillon da capital fluminense será espalhado e terá shows em diversos pontos da cidade. A estratégia, segundo o prefeito, é uma forma de diminuir aglomerações e evitar o contágio em massa da população pelo coronavírus.

Entre os locais que poderão receber shows, Crivella citou o Cristo Redentor, a Praia de Botafogo, a praia da Barra da Tijuca e o Aterro do Flamengo. Segundo o prefeito, essa separação em grupos menores permite maior controle de aglomerações e facilita a fiscalização.

"[A ideia] é espalhar nossos eventos para que a gente possa ter os 2 milhões de pessoas que temos atualmente no Rio em locais mais separados, evitando grandes aglomerações no transporte e também na região da praia", afirmou Crivella.

As atividades do réveillon também deverão ter transmissão pela internet, segundo o prefeito. Os detalhes do evento estão em debate com a Riotur e o setor de hotéis e precisam ser aprovados pelo comitê científico.

Minuto de silêncio

O prefeito afirmou ainda que o réveillon deverá ter um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do coronavírus e seus familiares. Também deverá haver uma homenagem aos médicos que atuaram na linha de frente do combate à pandemia.

"A ideia nossa é prestar uma grande homenagem a essas pessoas, aos seus familiares, fazer um momento de silêncio em homenagem às vítimas, também fazer uma grande homenagem aos nossos médicos", declarou Crivella.

Segundo dados do Painel Covid-19, da prefeitura, o Rio contabiliza 72.722 casos oficiais da doença e 8.419 mortes.

Coronavírus