PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Com manequim, funcionários da Prefeitura de SP agridem camelô; 4 se ferem

Arthur Stabile

Colaboração para o UOL, de São Paulo

09/01/2021 09h15

Trabalhadores da Prefeitura de São Paulo, comandada por Bruno Covas (PSDB), entraram em conflito com vendedores ambulantes na Rua 25 de Março, região central da capital paulista, na tarde de sexta-feira (8). O grupo rodeou e agrediu um homem já caído no chão enquanto PMs tentavam conter a pancadaria.

Um vídeo obtido pelo UOL mostra o momento em que um camelô ataca os funcionários da prefeitura, vestidos com colete laranja. Em resposta, o grupo investe contra ele, que cai e é chutado por ao menos três homens.

Outro ambulante também pega um pedaço de plástico, feito para separar o acesso nas lojas, para tentar ajudá-lo. E consegue evitar as agressões quando o grupo investe contra eles.

Na cena, é possível ver que um dos fiscais do governo Bruno Covas (PSDB) pega um manequim para agredir o ambulante caído. Ele acerta pelo menos dois golpes antes de os Policiais Militares presentes no local separarem os grupos.

A confusão, segundo apurou a reportagem, se deu pelo chamado "rapa", a ação em que a Prefeitura apreende os produtos comercializados nas ruas por vendedores irregulares. A 25 de Março é um dos principais pontos de comércio da metrópole.

A presença dos PMs evita agressão maior. Quando os fiscais recuam, um dos cinco policiais presentes investe contra os ambulantes dando golpes de cassetete.

O UOL questionou a Prefeitura de São Paulo sobre a confusão com os camelôs. Segundo a assessoria, os funcionários realizavam "fiscalização rotineira na Rua 25 de Março" quando "vendedores ambulantes irregulares atacaram os fiscais".

"Quatro agentes de apoio da Subprefeitura Sé ficaram feridos, um deles está hospitalizado", afirma o posicionamento, sem detalhar a condição de saúde dos agentes.

A reportagem solicitou à PM informações sobre a ação dos PMs no local. No entanto, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo não respondeu o pedido. Se enviado um posicionamento, ele será publicado.

Em sua nota, a Prefeitura explicou que "Polícia Militar, que acompanha diariamente todas as operações de fiscalização desta subprefeitura, interveio para garantir a ordem pública".

Cotidiano