PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

RS: procurador aposentado chama vereador com covid-19 de 'negão fascista'

Procurador aposentado José Adão Figueiredo dos Santos durante live - Reprodução
Procurador aposentado José Adão Figueiredo dos Santos durante live Imagem: Reprodução

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Chapecó (SC)

13/01/2021 16h36

O procurador aposentado da prefeitura de Porto Alegre e advogado José Adão Figueiredo chamou um vereador de Lavras do Sul (RS) de "negão fascista", após o político anunciar que tinha contraído a covid-19. Além disso, afirmou que o representante da Câmara dos Vereadores estava "mentindo" e "amedrontando" a população da cidade, de pouco mais de 7,4 mil habitantes. Para o UOL, Figueiredo disse que rebateu as "injúrias" contra ele (veja abaixo).

O nome do político não foi mencionado durante a live no Facebook. Porém, Figueiredo fez referência ao partido dele: "Esse negrão que é fascista que se elegeu pelo PP", disse o procurador aposentado. Nas eleições de 2020, a sigla obteve quatro cadeiras na Câmara, mas apenas Juliano Confisco (PP) se declarou negro ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) — segundo consulta feita no Divulgacand. Os outros três são brancos.

A live foi ao ar na última segunda-feira (11), mas depois foi apagada. O UOL teve acesso a dois vídeos. No primeiro vídeo, Figueiredo começou dizendo que "estava impressionado com a sacanagem do pessoal" da cidade gaúcha, declarou que é "mentira" o diagnóstico por covid do vereador e criticou a escolha do partido pelo político.

"Ele está fazendo esquema. Ele é fascista, esse negão é fascista. Como pode um negão fascista. PP, partido progressista", complementou o advogado. Em seguida, Figueiredo chamou o vereador de "vagabundo" e mentiroso e duvidou dos sintomas relatados pelo político, como perda do paladar.

"Tu pegou uma gripezinha ridícula aí. (...) Eu quero falar com esse cara aí. Está inventando que está com coronavírus. Eles pegam no sistema que não tem paladar, é mentira. Os caras são vagabundos, são fascistas colocando medo no povo de Lavras do Sul. Coisa feia. Esse negrão que é fascista, que se elegeu pelo PP. Um negão se eleger pelo PP vai ser um negão ridículo. Está incomodando as pessoas. Tu inventou essa história que está doente. Fascista", disse o advogado, seguindo com uma série de palavrões até ser interrompido por uma mulher. "Tu pode ganhar um processo", alertou a mulher.

Três dos quatros vereadores da bancada do PP em Lavras do Sul se declararam brancos e apenas Juliano Confisco (segundo da direita para esquerda) como negro - Divulgação - Divulgação
Três dos quatros vereadores da bancada do PP em Lavras do Sul se declararam brancos e apenas Juliano Confisco (segundo da direita para esquerda) como negro
Imagem: Divulgação

Contudo, o procurador aposentado prosseguiu. "Está mentindo para colocar o povo de Lavras do Sul em pânico. Tu é negão fascista, tu é negro. Eu não falei teu nome, mas eu vou falar. Tu está sendo pago para falar essas bobagens, fala sério. Tu é nada, é um cara bem comum", disse Figueiredo.

No segundo vídeo, gravado em outro lugar, o procurador aposentado volta a chamar o político de fascista. "Esse pessoal é fascista porque eles colocam medo em vocês. E será que estão mesmo com coronavírus? Sabe o que é fascismo? As pessoas que colocam medo para dominar o poder", disse.

Em seguida, Figueiredo põe em dúvida as mortes por coronavírus, que já ultrapassam 200 mil no país. "A maioria das pessoas morreu como morreriam. Eu tenho feito uma crítica imensa. O cara com 80 e poucos anos morrer... se der uma cagada e a merda trancar no c*, ele morre porque ele tem 80 e poucos anos."

Após declarações, vereador apresenta teste

Para o UOL, o vereador Juliano Confisco (PP) disse que nunca falou com o procurador aposentado, que deixou de morar na cidade há cerca de 20 anos. "Eu sou mais novo do que ele, conheço de vista. Nunca tivemos atritos e somos inclusive amigos virtuais", disse o político, referindo-se às redes sociais.

O progressista está em isolamento desde 7 de janeiro, quando saiu o resultado positivo para a covid-19. Ele pontuou que, três dias antes, houve sessão na Câmara e, em 6 de janeiro, um colega avisou que contraíra a doença. No dia seguinte, Confisco recebeu uma ligação para realizar o exame, o que acabou sendo feito na rede particular.

Vereador Juliano Confisco (PP) apresentou teste comprovando ter contraído a doença - Divulgação - Divulgação
Vereador Juliano Confisco (PP) apresentou teste comprovando ter contraído a doença
Imagem: Divulgação

"Eu ainda estou sem paladar e sem olfato, tenho dor de garganta e no corpo. Na semana passada tive falta de ar. Quando me chamou de mentiroso, eu postei os dois vídeos dele e a foto do exame. Eu sou figura pública, tenho contato com bastante gente e eu relatei que estava com covid para as pessoas que tiveram contato comigo ficarem alertas com os sintomas. Na segunda postagem relatei como estava", observou o progressista.

Confisco estava em casa quando ficou sabendo por um amigo da live do procurador aposentado. "Meu amigo me mandou link no whats, entrei, peguei e salvei os vídeos. Ainda bem que salvei, pois no outro dia ele apagou." O político disse que já está acostumado com xingamentos racistas e, por isso, acabou ficando mais ofendido por ter sido chamado de "burro e idiota". "Isso me ofende mais."

Agora o vereador pretende registrar boletim de ocorrência e processar o procurador aposentado.

"Sem desavenças, só questões ideológicas", diz procurador aposentado

A reportagem do UOL entrou em contato com Figueiredo, que só aceitou conversar por mensagem pelo whatsapp. Antes mesmo de ser questionado, o procurador aposentado reconheceu que apagou as duas lives e explicou que tem "costume" de deletar postagens com "interpretação um pouco mais forte". "Mas isso aí eu faço sempre (...) Isso faz parte", justificou, em áudio.

Ele negou atritos com o vereador. "Não há desavenças, mas apenas questões ideológicas. Como por exemplo o partido do vereador, que já foi Arena etc. E tem toda história na extrema-direita, contra a reforma agrária e a favor do latifúndio improdutivo."

E disse que chamou o político de "negrão fascista" dentro de um contexto. "Apenas argumentos para reflexão sobre o partido. Ele também postou calúnias sobre a minha pessoa. As lives vão continuar, sem citar nomes, apenas questões ideológicas", frisou o advogado.

Figueiredo diz que foi chamado de "alcoólatra" pelo vereador e encaminhou uma postagem do político com marcação para o trecho: "não preciso de nada alcoólico para falar o que penso".

Bom dia! Eu sei que não preciso disso vir aqui para me explicar, quem me conhece sabe quem sou! Não preciso de nada...

Publicado por Juliano Confisco em Terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Para o UOL, Figueiredo reafirmou que descrever os sintomas da doença — como fez o vereador — causa pânico na população. "Isso aí não se faz. Está causando pânico em pessoas simples, que estava dizendo tudo que acontecia, como ficava, o paladar. E a imprensa também faz isso."

Cotidiano