PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Acusada de não atender idosa, médica agride mulher em hospital de SP; vídeo

Jean Sfakianakis

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/02/2021 21h06

Uma médica foi acusada de agredir uma mulher após se recusar a atender uma idosa no Hospital Heliópolis, na zona sul da cidade de São Paulo. O caso aconteceu na última quarta-feira (17), mas o B.O (Boletim de Ocorrência) só foi registrado ontem. A Secretaria de Estado da Saúde informou ao UOL que pediu o afastamento imediato da médica enquanto o caso é investigado.

A denúncia por desrespeitar o Estatuto do Idoso (Art. 97 - Lei nº 10.741) ocorreu após a médica, identificada no BO como Silvia Haber Duellberg, que estava de plantão, supostamente se recusar a atender Chiarella Aurora, de 96 anos, que não se sentia bem e estava com dificuldades para andar. O neto e acompanhante da idosa no hospital, Anderson Basílio Ferraz, 41, deu sua versão do que houve ao UOL.

Chiarella chegou ao pronto-socorro da unidade de ambulância e necessitava de atendimento médico urgente. A idosa apresentava sintomas de infecção urinária e desidratação. Anderson diz que chegou ao local às 12h30, sendo comunicado por pessoas na sala de espera sobre a ausência da médica, que teria saído para almoçar às 11h30 e só retornado às 13h30.

Já no consultório, Duellberg teria realizado o atendimento sem máscara, justificando que estaria imunizada contra a covid-19 e por isso não precisaria do equipamento de proteção, segundo Anderson.

No vídeo, ele pede à médica para atender sua avó com prioridade, mas recebe um "não" como resposta. "Perguntei se ela conhecia o Estatuto do Idoso e ela disse 'não', que 'aqui não existe isso, ela vai ser a última das últimas da fila'", contou o neto.

Quando notou o comportamento da médica, Anderson ligou a câmera do celular para registrar os momentos.

Depois, outra acompanhante foi tirar satisfação sobre a ausência do uso da máscara por parte da profissional. Isabela Saturnino dos Santos, 33, estava como acompanhante de sua mãe, que realiza um tratamento contra câncer no hospital e passaria pela triagem no pronto-socorro.

Ao ver a confusão envolvendo a mãe de Anderson, Isabela foi até a porta do consultório e ficou parada, como forma de protesto. Duellberg então pediu para que ela saísse dali. Foi quando a confusão chegou às vias de fato. O autor do vídeo indicou que a médica se levantou e começou a agredir a mulher.

"Eu disse: 'Se você gosta das coisas certas, você deveria usar máscara'. Aí ela me disse: 'Enquanto você estava em casa, eu estava me fode*** nesse lugar'. Ela começou a vir para cima de mim, arrancou meu óculos e puxou meu cabelo", contou Isabela, que viu os seguranças separarem a briga, mas ainda tentou correr atrás da médica.

O UOL procurou a médica Silvia Haber Duellberg para apresentar a versão dela sobre o ocorrido, mas não encontrou nenhum contato. O texto será atualizado caso ela se posicione.

Secretaria se manifesta

Ao UOL, Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo disse que repudia condutas desrespeitosas por parte dos profissionais do SUS (Sistema único de Saúde) e, diante das denúncias, determinou ao Hospital Heliópolis o afastamento imediato da médica envolvida no caso.

"A unidade já está realizando apuração preliminar sobre os relatos envolvendo as pacientes citadas. Se comprovado qualquer erro, a unidade tomará as providências previstas pela legislação e conduzirá o caso ao Conselho de Medicina. O hospital está à disposição dos familiares e pede desculpas pelos transtornos", escreveu em nota.

A SSP-SP (Secretária de Segurança Pública do Estado de São Paulo) confirmou em nota que o caso foi registrado pelo 95º Distrito Policial e encaminhado para investigação da 2ª Delegacia do Idoso. "A equipe da unidade realiza diligências para esclarecer todas as circunstâncias da ocorrência".

Já o Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado e São Paulo) está apurando o caso, uma vez que Duellberg possui registro profissional licenciado pela instituição.

Cotidiano