PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Reincidente, idoso se entrega e admite estupro da neta, mesmo sem denúncia

Caso aconteceu em Botucatu, no interior de São Paulo - iStock
Caso aconteceu em Botucatu, no interior de São Paulo Imagem: iStock

Daniel César

Colaboração ao UOL, em Pereira Barreto (SP)

25/02/2021 10h36

Um homem de 61 anos foi preso na segunda-feira (22) em Botucatu, no interior de São Paulo, depois de confessar que estuprou a própria neta, uma garota de 13 anos. O suspeito procurou a delegacia para confessar o crime, que não tinha nenhuma denúncia por parte da vítima ou da família. Além do abuso, a garota perdeu no começo da semana a mãe - quem cuidava dela -, vítima de covid-19.

Segundo consta no Boletim de Ocorrência, o homem, que não teve sua identidade revelada para garantir a preservação da vítima, afirmou ter estuprado a neta depois que ela o procurou em sua casa para pedir dinheiro. O idoso teria levado a menina para o quarto e praticado o ato.

O caso, segundo ele, aconteceu no início de janeiro, mas somente agora ele decidiu confessar. Em seu depoimento, o homem afirmou que após praticar o ato com a neta, deu R$ 12 para a garota.

Por conta da confissão, a Delegacia de Defesa da Mulher abriu investigação para apurar o caso e a menina, que teve sua identidade preservada, já foi encaminhado para exames a fim de constatar o suposto estupro. O Conselho Tutelar também já foi acionado e está acompanhando o caso.

O caso está sendo investigado pela delegada Luciana Souza, que pediu a prisão preventiva do suspeito. A prisão foi acatada pela justiça porque o idoso já havia sido preso anteriormente por outro caso de estupro, quando cumpriu pena de sete anos após condenação.

O que chamou a atenção dos investigadores é que ele foi condenado por estuprar a filha, que tinha 10 anos à época, e que é a mãe da neta, vítima da situação atual.

A delegada Luciana confirmou ao UOL que o suspeito está preso e detalhou o que o levou a confessar o crime. "Ele chegou e confessou e, a partir daí, nós iniciamos as diligências e ele alegou que pesou a consciência, mas apuramos que a menininha começou a falar para vizinhos e ele temendo algo maior se entregou".

A reportagem tentou contato com a defesa do suspeito, mas ela ainda não foi constituída e será indicada pelo Estado.

Mãe morre de covid

A garota era cuidada pela mãe, que morreu também na segunda-feira.

"A menina era criada pela mãe até a última segunda-feira, mas faleceu de covid-19", contou a delegada, explicando que a menina está num abrigo de menores acompanhada por conselheiros tutelares.

Como a menina tem menos de 14 anos, o estupro de vulnerável está caracterizado na legislação, ainda que o suspeito pudesse alegar que houve consentimento, o que não foi o caso. Ele responderá pelo crime e sua pena poderá até ser aumentada por ser reincidente. As investigações seguem na Delegacia de Defesa da Mulher com apoio da Delegacia Seccional de Botucatu.

Errata: o texto foi atualizado
A matéria inicialmente se referiu à garota como sendo sua mãe. O conteúdo foi corrigido

Cotidiano