PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Casal de idosos se reencontra e se casa 63 anos após ter namoro proibido

Antônia Rodrigues e Olavo Oliveira da Silva se reencontraram no ano passado - Arquivo Pessoal
Antônia Rodrigues e Olavo Oliveira da Silva se reencontraram no ano passado Imagem: Arquivo Pessoal

Ed Rodrigues

Colaboração para o UOL, no Recife (PE)

22/03/2021 10h03

Um casal de idosos se reencontrou após 63 anos e se casaram, no Ceará. Antônia Rodrigues, de 80 anos, e Olavo Oliveira da Silva, 84, namoraram na adolescência, mas o pai dela proibiu o casamento. Na época, ela tinha 16 anos e ele, 20. A vida seguiu até que o destino os colocou na mesma direção novamente em setembro do ano passado.

A história dos dois começou no interior do Ceará. Na época, o pai de dona Antônia não concordou com a união porque ela era muito nova.

"Meu pai queria que eu fosse estudar primeiro, me formar. E que eu só pensasse em casamento após ter os estudos completos", contou a idosa, ao UOL.

A decisão do pai dela não foi recebida com satisfação. Dona Antônia prometeu que, se não casasse com Olavo, não casaria com mais ninguém.

O tempo passou, ela viajou e morou em outros estados até que firmou residência no Maranhão. Nesse período, encontrou um companheiro com o qual viveu por anos, mas sem oficializar o matrimônio, como havia prometido. Até que ele morreu.

Já Olavo permaneceu no Ceará, onde se tornou marceneiro. Ele também encontrou uma companheira, mas acabou se divorciando. Dez anos de solterice o fizeram se lembrar do primeiro amor.

"Comecei a pensar nela e no que a gente poderia ter vivido. Até que decidi procurá-la. Temos uma amiga em comum e eu pedi o telefone dela. Criei coragem e liguei. E o resto da história é só felicidade", comentou o idoso, à reportagem.

O reencontro do casal aconteceu em meio à pandemia do novo coronavírus - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
O reencontro do casal aconteceu em meio à pandemia do novo coronavírus
Imagem: Arquivo Pessoal

Muitas ligações, conversas e nostalgia até que em um momento ele disparou: "Que tal a gente continuar de onde paramos?". E o "sim" foi imediato.

O reencontro ocorreu durante a pandemia. Isabel Brandão, sobrinha de dona Antônia, organizou a viagem e a acompanhou no retorno ao Ceará.

Seu Olavo foi buscá-la no aeroporto de Fortaleza. A emoção do encontro e a afinidade entre os dois impulsionaram uma cerimônia de casamento que ocorreu uma semana depois.

"E namoramos bastante. Um mês todo de namoro direto para matar a saudade. Estou me sentindo um adolescente", brincou Olavo.

O casal agora vive em um casa simples, mas bem perto da natureza e na tranquilidade da zona rural, em Pentecoste, cidade do interior cearense.

Cotidiano