PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Mãe de Henry foi a salão de beleza 1 dia após enterro do filho, diz polícia

Beatriz Gomes, Heloísa Barrense e Herculano Barreto Filho

Do UOL e colaboração para o UOL, em São Paulo e no Rio

08/04/2021 12h48Atualizada em 08/04/2021 16h34

O delegado da 16ª DP Henrique Damasceno disse que a professora Monique Medeiros, mãe do menino Henry, 4, morto no dia 8 de março, foi a um salão de beleza um dia depois do enterro do garoto.

A informação foi confirmada pelo delegado, que não passou detalhes e alegou, ao ser questionado sobre o perfil de Monique, que não cabia a ele determinar essas características da professora.

A investigação apontou que Monique foi avisada pela babá de Henry que o menino tinha marcas de chutes e socos desferidos pelo padrasto, o médico e vereador Dr. Jairinho (Solidariedade), mas que não fez nada para afastar a criança do suspeito.

"Não é isso o que eu percebi [ameaças de Jairinho à Monique]. Ela teve inúmeros momentos em que ela poderia falar conosco, o depoimento foi bastante longo. Ela se mostrou bastante à vontade em vários pontos dele. Se eu imaginasse qualquer possibilidade de coação [de Jairinho contra a mãe de Henry], eu jamais teria pedido a prisão dela", disse Damasceno.

O delegado acrescentou que Monique conseguiu, mesmo após a morte do filho, "apresentar uma versão fantasiosa protegendo o assassino do filho", em depoimento concedido por mais de quatro horas à polícia.

Cotidiano