PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

'Foi covardia', desabafa marido de mulher agredida e morta por vizinho

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

12/04/2021 11h33

"A Aline era uma mulher cheia de vida, com muitos sonhos e uma super mãe. Ela morreu sendo inocente. É muito difícil ser mulher hoje em dia". O desabafo é de Charles da Silva Vicente, de 35 anos, marido de Aline dos Santos Viana, de 32 anos. A mulher foi morta depois de ser atacada com um soco pelo vizinho, o vigilante Washington Andrade de Jesus, de 36 anos, enquanto saia para trabalhar na manhã de sexta-feira (9), em São Vicente, litoral de São Paulo.

Depois de cometer o crime, o homem ateou fogo no próprio apartamento e se jogou do sétimo andar. Ele também morreu.

Charles relata que a esposa e o vizinho não tinham nenhuma relação e se conheciam apenas de vista por morarem no mesmo andar. O casal, morava no apartamento havia pouco mais de um ano e nunca desconfiou que o vigilante pudesse ter uma atitude agressiva.

"A gente não tinha nenhum atrito e ele matou ela por nada, foi na covardia. Ele deu uma disfarçada e quando ela olhou para trás já foi agredida, não teve nem tempo de defesa. É inacreditável o que aconteceu", lembra o marido.

Moradores do prédio relatam que antes do crime, o vigilante teria brigado com a namorada e por isso ela não estava no imóvel naquela manhã. "Ele pode ter descontado a raiva dele na minha mulher", lembra o marido.

Depois da morte de Aline, o marido deixou o imóvel com as duas filhas, uma de sete meses e outra de três anos.

Mulher cheia de sonhos

Charles relata que a esposa era uma mulher cheia de sonhos e que amava a vida. Além de trabalhar e cuidar das filhas, Aline também se dedicava aos estudos e estava prestes a concluir a faculdade.

"Era uma pessoa cheia de vida, uma mulher cheia de planos e sonhos. Um desses sonhos era terminar a faculdade de administração de empresas. A Aline era minha heroína, uma mulher guerreira, estávamos juntos desde a nossa adolescência. Nossa casa era cheia de amor, ela vivia cantando e brincando. Era uma mãezona para as nossas filhas", acrescenta o marido.

O crime

Aline dos Santos Viana, de 32 anos foi morta depois de ser atacada com socos pelo vizinho, o vigilante Washington Andrade de Jesus, de 36 anos, no prédio residencial onde os dois moravam na rua Rua Silva Teles, no bairro Parque São Vicente.

Imagens das câmeras de segurança do prédio mostram que por volta das 6h20, de sexta-feira, Aline e o vizinho aparecem juntos no elevador. Os dois descem até a garagem do prédio. Nas imagens é possível ver que ao chegar no térreo Aline vai em direção a sua moto, já Washington fica andando pelo estacionamento observando a mulher.

Em determinado momento ele para atrás da vítima e quando ela se vira é surpreendida com um soco no rosto. Aline cai desacordada. Na sequência, o vigilante arrasta a vítima até a escadaria do prédio. A polícia investiga se houve abuso sexual.

Após o crime o homem retorna para o seu apartamento, no sétimo andar.

O corpo de Aline foi encontrado momentos na escadaria do primeiro andar pelo próprio marido depois que ele estranhou o fato de a chefe da esposa ter ligado dizendo que Aline não havia ido trabalhar e passou a procurar pela mulher.

A Polícia Militar foi chamada e ao perceber a movimentação de policiais, Washington teria ateado fogo em seu apartamento. Com a chegada dos oficiais no imóvel, o vigilante teria se jogado do sétimo andar. Ele morreu no local.

Cotidiano