PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Mulher se joga de altura de 12 metros para fugir da polícia no PA

Imagem do resgate de mulher, que não teve identidade divulgada; ela pulou do terceiro andar de prédio para evitar polícia - Reprodução/Redes Sociais
Imagem do resgate de mulher, que não teve identidade divulgada; ela pulou do terceiro andar de prédio para evitar polícia Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Ed Rodrigues

Colaboração para o UOL

21/04/2021 22h16Atualizada em 22/04/2021 11h55

Uma mulher pulou do 3º andar de um edifício para escapar de uma abordagem policial no Pará. A queda foi de aproximadamente 12 metros.

A tentativa de fuga ocorreu durante uma ação da Polícia Militar em repressão ao tráfico de drogas na cidade de Parauapebas, a 720 km de Belém.

A mulher, que não teve a identidade divulgada, foi socorrida em uma unidade de saúde da região, mas não corre risco de morte.

Segundo a PM, ela será apresentada na delegacia da cidade assim que estiver recuperada.

Os policiais do 23° Batalhão da PM realizavam rondas pelo bairro Alto Bonito quando suspeitaram do comportamento de um homem.

Após a abordagem, segundo os agentes, o suspeito os levou até um prédio onde funcionava uma pequena "boca de fumo".

"Os policiais observaram um homem demonstrar atitude suspeita ao correr na via. Ao ser indagado, o suspeito contou que o restante das drogas estava no apartamento dele", contou a corporação em nota.

A PM explicou que, do apartamento do casal, a esposa do suspeito percebeu a movimentação e, temendo uma busca no imóvel, tentou fugir com a droga.

"Os policiais ouviram gritos e verificaram que a esposa do suspeito tinha caído no chão ao se jogar do apartamento", continuou o comunicado.

Uma equipe do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamada para atendimento à suspeita, enquanto o marido foi levado à Delegacia de Parauapebas.

Aline Limeira, que conversava com as amigas em um fiteiro próximo ao endereço e testemunhou o incidente, disse ao UOL que apesar da mulher não ter sofrido ferimentos graves o barulho da queda foi impressionante.

"Ela deu um grito altíssimo e de repente foi aquele barulho do impacto. Que loucura. Na minha cabeça, pensei: morreu. Mas os socorristas levaram com vida ainda", disse.

A enfermeira acrescentou que o comércio de drogas na região é comum. "A gente sempre vê os caras oferecendo e o povo procurando maconha e outras coisas", comentou.

Cotidiano