PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Menino sugere rifar fusca para doar cestas básicas e arrecada R$ 15 mil

Menino de 6 anos, morador de Contagem (MG), sugeriu rifar o fusca da família para comprar cestas básicas - Reprodução/R7
Menino de 6 anos, morador de Contagem (MG), sugeriu rifar o fusca da família para comprar cestas básicas Imagem: Reprodução/R7

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/05/2021 15h11Atualizada em 06/05/2021 15h11

O menino Arthur, de 6 anos, morador de Contagem, em Minas Gerais, fez uma sugestão inusitada ao pai. Ele pediu para que o fusca da família fosse rifado com o intuito de juntar dinheiro e comprar cestas básicas com o objetivo de auxiliar pessoas de baixa renda na pandemia. Até agora, a a família já arrecadou cerca de R$ 15 mil.

A ideia do filho foi aceita por Eduardo, o pai da criança, devido a uma história de longa data. O fusca ano 1980 é proveniente de uma antiga casa de automóveis chamada Artur Haas, que acabou inspirando o nome de batismo do menino.

"Coincidentemente, o carro veio trazendo o nome do Arthur. Aí naquele momento eu falei 'o carro vai ser do Arthur e vai ficar pra ele até quando ele quiser' ", contou Eduardo, em entrevista ao programa Balanço Geral, da RecordTV Minas.

O garoto fez o pedido de rifar o veículo enquanto assistia televisão com o pai. "Ele comentou: 'papai, já que aquele fusca é meu, e eu estou vendo tantas pessoas passando fome, por que é que a gente não faz uma rifa desse carro?'", recorda o Eduardo.

Até agora, foram vendidas 1,5 mil rifas, depois que a iniciativa fez muito sucesso entre amigos e familiares. "Já compramos 150 cestas básicas e teve uma pessoa que, além de comprar a rifa, ainda doou mais 30 cestas básicas para poder ajudar."

A entrega das doações vai contar com a presença da criança. A família terá que se despedir do carro no dia 31 de julho, quando a rifa será sorteada na loteria federal.

Eduardo disse que quando o fusca for embora, ele deixará um "sentimento de saudade", mas que "valerá a pena, pois Deus irá retribuir".

Já o pequeno Arthur, quando perguntado se iria sentir falta do veículo, respondeu: "Eu vou sentir muita saudade, mas é por uma boa causa".

Cotidiano