PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher é morta e enterrada em mata após alertar amiga sobre ex em mensagem

A esteticista Jéssica Carla do Nascimento da Costa tinha 30 anos - Reprodução/Facebook
A esteticista Jéssica Carla do Nascimento da Costa tinha 30 anos Imagem: Reprodução/Facebook

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

12/05/2021 13h11Atualizada em 12/05/2021 17h58

A Polícia Civil do Rio prendeu na segunda-feira (10) um mototaxista, de 32 anos, acusado de matar a ex-namorada Jéssica Carla Nascimento da Costa, de 30. A mulher estava desaparecida desde o dia 26 de abril quando aceitou um convite para conversar na casa dele, no bairro de Paciência, na zona oeste do Rio. Segundo a corporação, ele confessou o crime.

Desconfiada do ex, Jéssica chegou a enviar sua localização para uma amiga quando ainda estava dentro da casa do acusado. Câmeras de segurança da região também confirmaram que a vítima esteve na residência do autor.

Segundo a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), Jéssica foi morta a facadas, após uma discussão acalorada com o ex. O corpo dela foi escondido em uma mata na Serra do Matoso, em Itaguaí, na Baixada Fluminense - a 30 km de distância da residência dele.

De acordo com as investigações, o autor apresentava temperamento violento, possuía histórico agressivo com sua ex-companheira, com a qual tem dois filhos, e não aceitava o término do relacionamento.

O sumiço de Jéssica foi registrado no dia 28 de abril - dois dias após o desaparecimento - na Delegacia de Santa Cruz (36ª DP). Posteriormente, o caso foi encaminhado para a DDPA.

Após o registro, policiais civis estiveram na casa do acusado. No dia 30 de abril, o imóvel foi interditado para realização de perícia.

"Quando a equipe retornou, posteriormente, o imóvel estava parcialmente queimado. Os agentes constataram que o incêndio foi provocado pelo acusado na tentativa de atrapalhar as investigações e o trabalho da perícia. A equipe da DDPA continuou em diligências e por meio de provas e elementos solicitou à Justiça um pedido de prisão, que foi decretado no último domingo (09)", informou a Polícia Civil.

Após a prisão, o homem confessou o assassinato e acompanhou os policiais até o local onde foi localizado o corpo da vítima. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foi acionada e a perícia foi realizada no local.

O mototaxista responderá pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

Amiga diz que ex perseguia Jéssica

Uma amiga de Jéssica, que pediu para não ser identificada, disse que a manicure passou os últimos dias sendo perseguida pelo ex.

"Ele estava vigiando ela nos últimos dias. No dia 23 de abril, ele esteve em um endereço onde a Jéssica teve consulta médica, no dia 24 ficou mais de sete horas próximo a uma festa onde ela estava. Ela foi nesse encontro para dar um basta definitivo nessa relação, mas acabou morrendo", detalha a moça.

Segundo a amiga, o casal teve um relacionamento de quase 3 anos, mas Jéssica foi aconselhada diversas vezes a se separar do ex.

A amiga disse ainda que, quando questionado pela família sobre o paradeiro de Jéssica, o mototaxista registrou boletim de ocorrência contra os parentes da vítima.

"A família dela nunca ameaçou ele, mas ele fez registro, tirou foto com o documento, fez depoimento na redes sociais falando que estava sendo acusado", contou.

De acordo ainda com as investigações, o acusado pegou um carro emprestado de um amigo para ocultar o corpo de Jéssica em uma região bem erma, de difícil acesso.

O corpo estava em uma ribanceira e foi retirado de casa envolvido em sacos de lixo pretos. Segundo a polícia, o homem foi preso em um hotel no Centro do Rio. Ele deixou a casa onde morava após ser ameaçado pela milícia na região.

Cotidiano