PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Mulher simula dor abdominal e denuncia cárcere privado; suspeito é preso

Além de cárcere privado a vítima também relatou ameaças e estupros - Reprodução/ Prefeitura de Alvorada (RS)
Além de cárcere privado a vítima também relatou ameaças e estupros Imagem: Reprodução/ Prefeitura de Alvorada (RS)

Caio Santana

Do UOL, em São Paulo

06/07/2021 21h26Atualizada em 06/07/2021 23h27

Na noite de domingo (4) uma mulher fingiu estar com dor abdominal para que seu companheiro a levasse ao hospital em Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre. Segundo a Polícia Civil, usando a tática, ela conseguiu denunciar o homem que a mantinha em cárcere privado desde o dia anterior.

Funcionários da unidade hospitalar chamaram a polícia e o homem acabou sendo preso em flagrante. O suspeito teve prisão preventiva decretada na tarde de hoje pela Justiça do Rio Grande do Sul.

"A vítima estava em cárcere privado com o suspeito e teria dito que estava com muita dor para que ele levasse ela ao hospital", explica Samieh Saleh, delegada titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) de Alvorada, em entrevista ao UOL.

De acordo com a delegada da Polícia Civil, a vítima detalhou que o homem a ameaçou, dizendo que mataria a filha da vítima, de oito anos, caso a mulher tentasse fazer algo.

"Ela foi até o hospital e no momento que conseguiu ficar sozinha relatou toda a situação de cárcere privado, e que ele estava no saguão com a filha dela", detalha a delegada.

A mulher relatou que conheceu o homem há três anos, vivendo um relacionamento de idas e vindas com ele, mas que os dois estavam juntos sem términos desde o começo do ano.

Ao UOL, a delegada Samieh disse que a vítima detalhou que o companheiro é usuário de drogas e estava sendo extremamente violento nas últimas semanas. "[Ele estava] Agredindo ela e estuprando ela por vários dias. A partir do sábado ele não deixou mais ela sair de casa".

A prisão

Ao tomarem conhecimento da situação da mulher, os funcionários do hospital ligaram para a Brigada Militar gaúcha, que foi até o local e prendeu o suspeito em flagrante.

Na delegacia, o delegado plantonista representou pela prisão preventiva do acusado, a qual foi decretada hoje pelo Poder Judiciário pelos crimes de estupro, lesão corporal, cárcere privado e ameaça.

Segundo a delegada, há ainda a informação de que a vítima está grávida do suspeito, após exames no hospital.

Com lesões, a vítima fez acompanhamento médico e foi levada para fazer exames de corpo de delito após denunciar o suspeito. Tanto ela quanto o bebê estão em bom estado de saúde.

Cotidiano