PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Jovem morre após 3 dias internado em UPA no RJ: 'Ficou largado', acusa pai

Weslley, de 23 anos, morreu na UPA de Queimados - Arquivo Pessoal
Weslley, de 23 anos, morreu na UPA de Queimados Imagem: Arquivo Pessoal

Daniele Dutra

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

20/07/2021 11h50

A família de um jovem que passou três dias internado em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) desde sexta-feira acusa a direção do local de negligência, após ele morrer. Weslley da Silva Cardoso, de 23 anos, deu entrada às 15h30 na UPA de Queimados, na Baixada Fluminense do Rio.

O jovem estava trêmulo, com muita falta de ar e, segundo a família, nenhum médico prestou atendimento e nem foi solicitada transferência para um hospital. A UPA nega.

No domingo (18), Weslley não resistiu e morreu. O atestado de óbito diz que a causa foi "indeterminada".

"Os médicos não deram nenhuma assistência ao meu filho", acusa o pai de Weslley, Flávio Cardoso. "Tiraram sangue dele, bateram uma chapa e eu não tive resposta de nenhum médico. Meu filho estava sofrendo na cama, passei a noite toda com ele e ninguém foi ver o meu filho. Colocaram no laudo dele 'causa indeterminada'. Não tiveram a coragem de mandá-lo para outro hospital para ser tratado. Ele ficou lá, tomando soro direto, até vir à óbito."

Nas redes sociais, Wallace Cardoso, irmão de Weslley, desabafou: "Ontem foi meu irmão, amanhã pode ser o seu ou de um amigo seu. Essa UPA de Queimados tem que melhorar muito. Meu irmão morreu sem nenhum atendimento médico, ficou largado até vir a falecer. Triste, mas é a realidade da saúde de nossa cidade de Queimados".

Outro lado

Em nota da Secretaria Estadual de Saúde, a direção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Queimados afirma que o paciente Weslley da Silva Cardoso, 23 anos, deu entrada na unidade às 16h de sexta-feira (16), com dificuldade intensa para respirar e febre, que ele foi atendido pelo médico de plantão, medicado e encaminhado para realização de exames laboratoriais e raios X, com suspeita de pneumonia e tuberculose.

Ainda segundo o comunicado, o paciente tinha histórico de doença crônica grave. Após realização dos exames laboratoriais, Weslley foi diagnosticado com anemia, plaquetopenia, baixa coagulação, e leucopenia, imunidade baixa. Ele foi internado na sala vermelha da unidade.

A nota diz que o paciente foi reavaliado pela equipe médica e, às 20h58 do dia 16, orientada a transferência a um hospital de grande porte e que CER (Central Estadual de Regulação) realizou busca ativa de um leito que pudesse atender às necessidades do paciente, mas que ele morreu às 2h25 do domingo (18).

A UPA ainda afirmou no comunicado que, no dia 5 de julho, Wesley esteve na unidade, foi diagnosticado com quadro clínico crônico grave e recebeu assistência da equipe multiprofissional, com orientação de buscar atendimento especializado.

Cotidiano