PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Mãe com covid invade UTI para ver bebê e é removida pela polícia, em SP

Mulher furou quarentena e, ao invadir catraca, subiu as escadas até o andar onde fica a UTI neonatal - Reprodução/ Hospital Maternidade de Campinas
Mulher furou quarentena e, ao invadir catraca, subiu as escadas até o andar onde fica a UTI neonatal Imagem: Reprodução/ Hospital Maternidade de Campinas

Do UOL, em São Paulo

23/08/2021 18h29Atualizada em 23/08/2021 18h29

Uma mulher que teve seu bebê há dez dias, com 34 semanas devido ao seu diagnóstico positivo para covid-19, acabou furando a quarentena e entrou na UTI neonatal do filho, sem autorização, em Campinas (SP). O Hospital Maternidade da cidade precisou chamar a Polícia Militar para retirá-la do hospital, após as tentativas frustradas de removê-la, na tarde de ontem.

"Por apresentar boas condições de saúde, a puérpera recebeu alta e foi comunicada pelo Hospital que, de acordo com os protocolos, não poderia ter contato ou visitar a criança até que cumprisse o período da quarentena, a fim de se evitar a transmissão da doença", informou a assessoria do hospital em nota enviada ao UOL. A liberação de visitas pela mãe seria feita amanhã e, durante sua quarentena, apenas o pai era autorizado a visitar o filho.

A criança está internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal por nascer prematuro e já testou negativo para covid duas vezes desde que nasceu. Sua mãe tentou visitá-lo furando a quarentena ao aproveitar o momento que o pai fazia o cadastro para entrar no hospital.

"A mãe invadiu a catraca, sendo imediatamente barrada pelo controlador de acesso ao público que a orientou a efetuar o seu cadastro", disse o hospital. Ciente que ela não seria autorizada, a mulher correu pelas escadas até alcançar o andar da UTI neonatal e entrou em uma das salas onde estava o filho em uma incubadora.

Devido ao ocorrido, as equipes médicas e de segurança foram acionadas e realizaram "inúmeras tentativas para acalmá-la e convencê-la a deixar o hospital". Por se negar a sair voluntariamente, a Polícia Militar foi acionada e retirou a mulher das instalações da maternidade por volta das 18h30, após registro de boletim de ocorrência.

Ainda conforme a assessoria, a mulher permaneceu de máscara enquanto esteve ao lado da incubadora do filho, não entrando em contato com outras crianças internadas. O hospital afirma que não houve riscos para a integridade, segurança e saúde dos demais pacientes e que fez higienização completa do local, "apesar de serem consideradas muito baixas as possibilidades de contaminação da forma como os fatos ocorreram".

A maternidade também salienta que o hospital possui um trabalho protocolar que permite o envio de fotos e vídeos para as mães que não podem acompanhar seus recém-nascidos na UTI neonatal, além de realizar e oferecer acompanhamento psicológico.

Cotidiano