PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Cidade de MG pagou mais a Gusttavo Lima do que em obra chamada de histórica

Show de Gusttavo Lima custou R$ 800 mil, mas prefeitura diz esperar arrecadar dinheiro para cobrir custos - Reprodução/ Instagram @gusttavolima
Show de Gusttavo Lima custou R$ 800 mil, mas prefeitura diz esperar arrecadar dinheiro para cobrir custos Imagem: Reprodução/ Instagram @gusttavolima

Do UOL, em São Paulo

02/06/2022 17h02

A cidade de Campos Gerais (MG), a cerca de 300 km de Belo Horizonte, pagou R$ 800 mil por um show do cantor Gusttavo Lima. O valor é mais de três vezes superior a uma obra realizada no ano passado que foi classificada pela prefeitura como um "marco histórico".

No dia 20 de setembro, a Prefeitura de Campos Gerais anunciou o início das obras na Avenida Getúlio Vargas. "Uma obra considerada um marco histórico para Campos Gerais", diz o texto publicado no site da prefeitura.

O custo total foi de R$ 236 mil e, segundo a administração municipal, R$ 200 mil foram pagos com emenda parlamentar do deputado estadual Raul Belém (Cidadania) e os outros R$ 36 mil foram custeados pela Prefeitura.

A reforma inclui a remoção de paralelepípedos, regularização do subleito, drenagem superficial e profunda e pavimentação com asfalto. A avenida recebe tráfego de quem passa pela cidade com destino a outros municípios da região.

Com 29 mil habitantes, a cidade contratou por R$ 800 mil um show do cantor sertanejo Gusttavo Lima, previsto para acontecer no dia 15 de setembro deste ano, durante a 27ª Festa do Peão.

Em nota à imprensa, a Prefeitura de Campos Gerais afirma que tem o objetivo de arrecadar valor suficiente para arcar com todos os custos a partir da venda de ingressos, praça de alimentação e concessão de espaços publicitários.

"Fica registrado que a obra de asfalto [da Avenida Getúlio Vargas], não possui qualquer relação com a Festa do Peão, sendo apenas uma, das diversas realizações do Município de Campos Gerais, que constitui investimentos milionários em seu todo", diz a nota.

Cotidiano