PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Nova entrada de Bertioga custa R$ 1,2 mi e recebe críticas: 'parece motel'

Portal do município de Bertioga, no litoral norte de São Paulo, foi comparado à entrada de motel - Divulgação/Prefeitura Municipal de Bertioga
Portal do município de Bertioga, no litoral norte de São Paulo, foi comparado à entrada de motel Imagem: Divulgação/Prefeitura Municipal de Bertioga

Maurício Businari

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

05/07/2022 12h21

O recém-inaugurado portal que decora a entrada do município de Bertioga, no litoral norte de São Paulo, vem gerando polêmica nas redes sociais. Ao custo de R$ 1,2 milhão, a obra, que conta com iluminação colorida e fontes de água, tem sido comparada com pórticos comumente instalados na entrada de motéis.

Em um post publicado no Twitter, que contava com mais de 82 mil curtidas e 4.000 compartilhamentos na manhã desta terça-feira (5), o usuário Miguel Tonellotto retuíta uma imagem noturna do novo portal da cidade, publicada em um jornal local, e comenta, no texto: "Lindo, ficou parecendo entrada de motel".

A publicação acabou rendendo muitas críticas à administração bertioguense, presentes em centenas de comentários de usuários da plataforma, muitos deles identificados como moradores do município.

Além das inúmeras comparações da instalação com os pórticos presentes nas entradas dos motéis, os internautas questionam o valor empregado na obra. Alguns apontam que o dinheiro poderia ser melhor empregado em obras mais necessárias, como a pavimentação de ruas e a construção de creches e escolas para atender melhor à demanda.

"As ruas devem estar todas asfaltadas e sinalizadas, as escolas com computadores para alunos e professores e refeições de primeira, os postos de saúde devem ter respiradores, ambulâncias CTI móvel, aí sobrou mais de um milhão para fazer essa patifaria", comentou o internauta Luiz Filipe.

Há também os que não concordam com as críticas. "O governo municipal está investindo sim na cidade, meu avô construiu uma casa lá quando os terrenos eram quase de graça. Todas as ruas que eram de areia já estão asfaltadas, além de uma grande reforma no calçadão e abriram duas escolas primárias. O prefeito de lá trabalha bem", comentou o usuário Rafael Oliveira.

Em resposta, um internauta diz: "Moço eu moro aqui desde que nasci e não, nem todas as ruas estão asfaltadas, os bairros mais afastados todos inundam quando chove, quem quiser ver é só procurar".

Projetado para chamar a atenção

Comentários à parte, o fato é que o monumento localizado na avenida 19 de Maio chama a atenção de quem passa pela rodovia Rio-Santos. E, segundo o prefeito Caio Matheus (PSDB), a ideia é exatamente chamar a atenção de potenciais visitantes.

Para isso, o portal conta com dois espelhos d'água, um deles com direito a cascata e quatro fontes iluminadas. Um letreiro gigante com o nome da cidade pode ser visto de longe numa das laterais. Luzes especiais, de cores variadas, iluminam a estrutura.

"Bertioga é a 'porta de entrada' do litoral norte de São Paulo. Diariamente, passam pela rodovia Rio-Santos, que corta a cidade, milhares de veículos em direção aos demais municípios do litoral norte", afirmou o prefeito ao UOL. "O objetivo é chamar a atenção desses potenciais visitantes para que conheçam todos os atrativos da cidade o ano inteiro, quebrando a sazonalidade, aquecendo o turismo, gerando emprego e renda para a população".

Para o que considera "um sonho antigo da população bertioguense" virar realidade, foi necessário um investimento de cerca R$ 1,2 milhão. Do total, R$ 957 mil com recursos do Fundo de Desenvolvimento Metropolitano da Baixada Santista, cuja verba é repassada aos municípios pelo governo do Estado de São Paulo; e R$ 262 mil como contrapartida da prefeitura.

Além de ser considerado um "novo cartão-postal'', o pórtico conta com dois importantes equipamentos, na opinião de Matheus: um receptivo turístico, que funciona todos os dias, inclusive aos finais de semana e feriados; e uma base avançada de segurança e mobilidade, em operação 24 horas.

"O turismo é um dos principais pilares da economia de Bertioga. Portanto, investir nessa área é fundamental para promover o desenvolvimento econômico e social do município", afirma Matheus, respondendo às críticas, mas sem precisar qual seria o orçamento anual para a pasta do turismo. "A previsão é que o investimento no turismo para 2022 seja dez vezes maior com relação ao ano passado", declarou.

Quanto aos comentários de que a estrutura se parece com a entrada de um motel, o prefeito diz que não os encara como negativos ou pejorativos. "De certa forma, a viralização do post acaba tendo efeito positivo para a cidade, já que contribui para divulgar não só o portal, mas Bertioga para milhares de pessoas. O mais importante é que a repercussão do novo portal tem sido extremamente positiva, com aprovação maciça por parte da população bertioguense e dos visitantes", disse.

Polêmica, denúncia e pastel

A construção de um portal na entrada de Bertioga se envolveu em polêmica desde que, há alguns anos, a prefeitura decidiu desalojar uma pastelaria que se encontrava no local.

A estrutura mantida era a primeira lanchonete da franquia Pastel do Trevo, do empresário Donizete Aparecido da Silva, que há 34 anos vinha se estabelecendo como o ponto turístico mais famoso da cidade.

Foi dele a ideia de criar o pastel gigante, com recheios variados, que se tornou conhecido no Brasil e até mesmo em outros países. "A gente recebia aqui clientes do Brasil todo e também muitos estrangeiros. Estávamos há tanto tempo na entrada da cidade que o Pastel do Trevo já era referência para quem chegava".

Mas a pressão do Executivo se intensificou no ano passado, quando o empresário chegou a denunciar junto ao Ministério Público uma cobrança de propina por parte do prefeito Caio Matheus e do presidente da Câmara, Carlos Ticianelli, conhecido como Carlos da Funerária (PSDB). Eles negam as acusações.

Indagado sobre o fechamento da lanchonete, Matheus disse que a remoção do trailer comercial, "instalado indevidamente em área pública, se deu em decorrência de determinação judicial". Donizete, porém, diz que o assunto não é tão simples assim.

"Já prestei depoimentos e encaminhei todos os vídeos e provas. A investigação não terminou. Enquanto isso, fui obrigado a sair daquela área e só não me prejudiquei mais porque tinha um imóvel comprado ali perto, onde funcionava a nossa filial. Mas perdi 70% do faturamento. Dediquei mais de 30 anos da minha vida para tornar Bertioga conhecida mundialmente. E no final é isso que recebo", desabafou o comerciante.

Quanto ao novo pórtico da entrada da cidade, Silva afirma que ele não representa em nada o município. "Ninguém vai querer sair de casa para ver esguicho de água, isso não é atrativo turístico. Além do mais, toda aquela estrutura é de ferro, incompatível com a maresia. Além do gasto astronômico com a implantação, vai demandar um investimento alto em manutenção".

Cotidiano