Agressor de irmã de Zanin agiu intencionalmente, diz polícia em inquérito

A Polícia Civil de São Paulo concluiu que o aposentado Rogério Cardoso Júnior agiu "intencionalmente" ao desferir chutes contra a advogada Caroline Zanin e seus cães na última segunda-feira (16) no bairro de Perdizes, zona oeste de São Paulo.

O que acontece

Inquérito ligado ao caso foi concluído nesta sexta-feira (20). A polícia colheu depoimentos de Cardoso e Caroline, analisou imagens de câmeras de segurança e outros dados para chegar à conclusão de que o aposentado "assumiu o risco" de atingir a advogada "ao desferir intencionalmente" os chutes. Ele foi indiciado por crime de maus tratos a animais.

Em depoimento, Cardoso disse que um dos cães quase o despiu. A situação teria se dado por conta do animal ter mordido sua bermuda. Ele afirmou que Caroline não puxou a guia para tentar evitar o ataque e que não tinha a intenção de ferir a advogada ou seus cachorros, tendo inclusive errado todos os chutes que deu.

Caroline contestou a versão dada pelo agressor ao ser informada pelo UOL sobre o teor do depoimento. "Atacado pelos meus cães, eu garanto que ele não foi porque eles estavam comigo na coleira. Os meus cães nunca atacaram ninguém. Aliás, o vídeo da câmera de segurança comprova o que estou dizendo."

Advogada reconheceu agressor por fotografia

Irmã de Zanin disse que pretende se mudar do imóvel onde mora. Cardoso, o agressor, é seu vizinho. "Não tenho mais coragem de sair na rua com os meus cachorros. Quero me mudar, não me sinto segura", disse, em entrevista ao UOL.

O UOL teve acesso ao laudo médico de Caroline Zanin, que apontou "escoriações na região lateral da perna direita". As lesões corporais foram consideradas "leves". Um dos animais apresentou lesão na unha e na pata e teve sangramento no local, segundo exame. O documento não apontou luxação nos ossos da cadela.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes