Chapa eleita diz que foi barrada no Sindmotoristas; polícia contém invasão

A chapa vencedora das eleições para o Sindmotoristas (Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo) diz que foi impedida de entrar no prédio do sindicato, na Liberdade.

O que aconteceu

Aliados do grupo liderado por Edivaldo Santiago da Silva acusam o candidato perdedor de trancar o prédio. Segundo os sindicalistas, Valdevan Noventa fechou a sede do sindicato na noite de ontem e liberou todos os funcionários. Noventa tentou ser reeleito em pleito realizado no final de novembro.

Houve tentativa de invasão à sede do sindicato. Segundo os aliados de Edivaldo, Noventa colocou militantes para fazerem "tumulto" no local e, após um princípio de conflito, um grupo tentou entrar à força no prédio. Procurada pelo UOL, a Polícia Militar confirmou a tentativa de invasão, mas disse que conteve o movimento.

Justiça suspendeu liminar que impedia presidente eleito de assumir. Em despacho de ontem, o TRT (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região) cassou a decisão liminar que impedia Edivaldo de assumir a presidência do Sindmotoristas e determinava novas eleições.

Resultado tinha sido anulado

A Justiça tinha atendido o pedido de uma das chapas que disputou a eleição e pediu a suspensão do resultado. A decisão foi favorável e ficou determinada também uma multa de R$ 50 mil para Edivaldo.

Ele venceu as eleições internas com 14 mil votos — de um total de 20 mil. O TRT, porém, chegou a determinar que houvesse a publicação de um novo edital para as eleições até 28 de dezembro e que urnas eletrônicas deveriam ser solicitadas ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora