Conteúdo publicado há 1 mês

PF investiga se família presa por tráfico na Bahia sabia da investigação

A PF (Polícia Federal) investiga se a família presa por tráfico de drogas em Feira de Santana, cerca de 115 km de Salvador (BA), sabia das investigações sigilosas em andamento. As informações são do Fantástico, da TV Globo.

O que aconteceu

Conversas obtidas pelo programa indicam que a família teve acesso ao inquérito sigiloso. "Tem que ficar no mato igual bicho", disse Rener Manoel Umbuzeiro à filha, Larissa Gabriela Lima Umbuzeiro.

Em outra troca de mensagens, ela orienta o pai a não depositar uma quantia na conta dela. "Minha conta deve ser monitorada já".

O advogado de Larissa diz que ela "não pode passar de laranja para operadora [financeira do esquema], entendeu?". Segundo o Fantástico, ela seria a principal operadora financeira da quadrilha.

Outro trecho divulgado pelo Fantástico mostra Paulo Victor Bezerra Lima, marido de Larissa, ameaçando um delegado, caso ela fosse investigada por lavagem de dinheiro. "Será que a Larissa não pode estar sendo envolvida também aí nesses crimes de lavagem? Se esse delegado vier a citar Larissa, aí eu invado aquela academia ali para 'picar' a mão nele. Eu 'armo' uma para ele".

A PF investiga como a família teria tido acesso às investigações sigilosas.

Entenda o caso

Uma operação da PF, no mês passado, teve como alvo uma família em Feira de Santana, no interior da Bahia. O grupo é acusado de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Foram expedidas sete ordens de prisão e 20 mandados de busca e apreensão, cumpridos em nove cidades. A Justiça determinou ainda o bloqueio de contas e imóveis que estão avaliados em cerca de R$ 50 milhões.

Continua após a publicidade

Entre os bens bloqueados estão seis imóveis de alto padrão e cinco fazendas, localizados nos Estados da Bahia e de Pernambuco.

Os presos na operação Kariri são da mesma família. Rener Manoel Umbuzeiro, acusado de liderar o grupo, foi morto durante a ação policial. Ele teria reagido à abordagem dos policiais.

Defesa nega. Ao Fantástico, os advogados de Larissa disseram que ela é inocente e que não há denúncia contra a médica, mas, sim, uma investigação, ainda não concluída. Já a defesa de Paulo Victor afirmou que as acusações contra ele não são verdadeiras.

*com informações do Estadão Conteúdo

Deixe seu comentário

Só para assinantes