Conteúdo publicado há 24 dias

Gol suspende venda do serviço de transporte de pets após morte de cão

A Gol Linhas Aéreas decidiu suspender a venda do serviço de transporte de animais por 30 dias, para viagens realizadas no porão de aeronaves, até que as investigações sobre a morte do cachorro Joca sejam concluídas.

O que aconteceu

Suspensão entra em vigor nesta quarta-feira (24). A companhia informou, em comunicado enviado à imprensa, que a interrupção temporária afeta a venda do serviço de transporte de cães e gatos no porão dos aviões. Não haverá alteração para clientes que levarem seus pets na cabine do avião.

Clientes afetados podem pedir reembolso. No comunicado, a Gol informou que quem contratou o transporte de animais entre 24/04 e 23/05 por meio dos serviços que estão com restrição, poderão optar por restituição total do valor, inclusive do valor da sua passagem. A empresa também oferece o adiamento da viagem, sem custo, para depois de 23/05 em voos até 31/12/2024.

Aqueles clientes que se encontram no destino de sua viagem e possuem um dos serviços restritos contratados para a volta serão atendidos se assim desejarem. As equipes de aeroportos da GOL estarão à disposição para dúvidas ou através da central de atendimento pelo 0800 704 0465.
Trecho de comunicado da Gol

Medida foi tomada após morte de cão

Iniciativa de companhia aérea ocorre após morte de Joca. Um cachorro da raça Golden Retriever, de 4 anos, morreu durante uma falha no transporte aéreo feito pela empresa nesta segunda-feira (22).

O animal deveria ser levado do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) para Sinop (MT), onde seu tutor o aguardava, mas foi parar em Fortaleza. Após a constatação do erro no destino do animal, ele retornou a Guarulhos, mas chegou morto ao aeroporto em São Paulo.

Família acusa a Gol de negligência. Em vídeo divulgado nas redes sociais, Marcia Martin, mãe de João Fantazzini, tutor do animal, diz que a empresa não chamou nenhum veterinário para avaliar o cão. A família também diz que Joca teria sido deixado dentro do canil, na pista, sob o sol.

Olha aqui, cachorro do meu filho, saiu para ir para Sinop, um irresponsável enviou ele para Fortaleza, não contente, mandaram de voltar sem nenhuma avaliação de um veterinário, o cachorro está aqui dentro, morto. Eles mataram um Golden de 4 anos.
Marcia Martin

Continua após a publicidade

Tutor desabafou e disse que cão foi assassinado. "O meu amor foi assassinado, minha melhor escolha, amor da minha vida. Você foi muito novo. Eu me lembro do dia que eu te peguei e a nossa conexão foi momentânea. Meu filho, me perdoa por ter sido egoísta de querer você ao meu lado. Você é o amor da minha vida para sempre. Minha saudade vai ser diária. Saudades de dar a sua maçã toda manhã, levar você para a piscina e de cuidar de você diariamente. Obrigado por tudo meu companheiro", escreveu João em postagem no Instagram.

"Falha operacional", diz Gol

Em nota, a Gol admitiu que houve "uma falha operacional" no transporte do animal e disse lamentar o ocorrido. A empresa também afirmou que o cão recebeu cuidados, mas, "infelizmente, logo após o pouso do voo em Guarulhos, vindo de Fortaleza, fomos surpreendidos pelo falecimento do animal".

Gol também disse que instaurou sindicância interna para apurar o ocorrido. "A Companhia está oferecendo todo o suporte necessário ao tutor e a apuração dos detalhes do ocorrido está sendo conduzida com prioridade total pelo nosso time. Nos solidarizamos com o sofrimento do tutor do Joca. Entendemos a sua dor e lamentamos profundamente a perda do seu animal de estimação".

Veja a íntegra da nota da Gol:

Continua após a publicidade

A GOL lamenta profundamente o ocorrido com o cão Joca e se solidariza com a dor do seu tutor. A Companhia informa que o cão Joca deveria ter seguido para Sinop (OPS), no voo 1480 do dia 22/04, a partir de Guarulhos (GRU), porém, por uma falha operacional o animal foi embarcado em um voo para Fortaleza (FOR).

Assim que o tutor chegou em Sinop, foi notificado sobre o ocorrido e sua escolha foi voltar para Guarulhos (GRU) para reencontrar o Joca.

A equipe da GOLLOG na capital cearense desembarcou o Joca e se encarregou de cuidar dele até o embarque no voo 1527 de volta para Guarulhos (GRU). Neste período, foram enviados para o tutor registros do Joca sendo acomodado de volta na aeronave. Infelizmente, logo após o pouso do voo no aeroporto de Guarulhos (GRU), vindo de Fortaleza, fomos surpreendidos pelo falecimento do animal.

A Companhia está oferecendo todo o suporte necessário ao tutor e a apuração dos detalhes do ocorrido está sendo conduzida com prioridade total pelo nosso time. Nos solidarizamos com o sofrimento do tutor do Joca. Entendemos a sua dor e lamentamos profundamente a perda do seu animal de estimação.

Como transportar o animal?

Caixa de transporte de animais, também chamada de kennel: Seu uso é obrigatório em voos
Caixa de transporte de animais, também chamada de kennel: Seu uso é obrigatório em voos Imagem: Freepik
Continua após a publicidade

Diversas reclamações sobre falhas no transporte de animais em voos de companhias aéreas ganharam repercussão nos últimos anos. Grande parte das reclamações gira em torno da falta de atendimento adequado e da presença de profissionais específicos para atenderem os animais em emergências.

Em entrevista ao UOL em 2022, Bruna Stafoche, médica veterinária e então-professora da universidade Anhembi Morumbi, fez algumas recomendações para tornar a viagem com os pets mais tranquila. Veja:

  • Caixa de transporte: seja rígida ou flexível, é importante que a caixa de transporte faça parte do dia a dia do animal, tornando ela um item de sua rotina, em um local onde ele costume ficar. Essa caixa, muitas vezes, só é apresentada ao pet durante experiências negativas, como ida ao veterinário ou viagens. A ideia é ele ter acesso sempre a ela, tornando-a um item agradável. Isso pode ser feito colocando petiscos ali dentro, um cobertor, transformando-a em uma cama, entre outras práticas.
  • Feromônios: a utilização de feromônios, principalmente para gatos, ajuda a tranquilizar os animais. Eles tendem a se sentir seguros nos locais onde esse odor (praticamente imperceptível aos humanos) é detectado. O feromônio pode ser usado desde antes da viagem, criando um clima mais favorável para o transporte.
  • Fornecimento de água durante o voo: manter a hidratação durante a viagem é fundamental. Se possível, utilizar bebedouros de esfera, que não vazam e são mais práticos para serem utilizados nessas situações. Caso não seja do cotidiano do animal, também é importante acostumá-lo com esse tipo de utensílio antes da viagem.
  • Comida: sempre deixar comida à disposição caso o animal viaje no porão ou na cabine. A falta de alimentos pode deixá-lo estressado.
  • Saúde: o animal deve estar saudável, com isso comprovado por meio de atestados.
  • Objeto de estimação: colocar um objeto que o animal goste dentro da caixa de transporte, como um pano ou um brinquedo.
  • Tapete higiênico: dentro das caixas é importante ter um tapete higiênico adequado ao porte e necessidades do animal. Vale levar reservas para alguma emergência.
  • Medicamento: não é recomendado o uso de nenhum tipo de medicamento, como sedativos ou calmantes, que podem ter seus efeitos potencializados com o estresse e o voo.
  • Treinamento: meses antes da viagem é indicado que o animal passe a ser treinado para que o trajeto seja feito com o mínimo de estresse para ele.

Deixe seu comentário

Só para assinantes