Conteúdo publicado há 1 mês

Prefeito diz que Eldorado do Sul (RS) terá de ser evacuada totalmente

O prefeito de Eldorado do Sul, Ernani de Freitas (PDT), avisou hoje que a cidade de 40 mil habitantes está tomada pela água e que será necessário fazer a evacuação total.

O que acontece

Prefeito disse que a água alagou 100% do centro da cidade. Em declaração à rádio Guaíba, Freitas citou as dificuldades que tem enfrentado, como a falta de energia elétrica e o aumento no número de saques.

Ele também contou que tem recebido apoio de outros prefeitos para abrigar a população de Eldorado do Sul: "Eu estou tentando agora transferir essas pessoas até para os municípios do litoral. Alguns prefeitos da cidade do litoral me ofereceram abrigo, me ficaram de me mandar até ônibus. As coisas estão se encaminhando".

Realmente, vou ter que evacuar toda a cidade, vou ter que tirar tudo. Só pode ficar aqui no nosso município quem terá condições de ficar trabalhando para fazer o rescaldo [de limpeza] da cidade. Porque a cidade está sem água, sem luz, e tomada pela água [das enchentes]. Então, se Deus quiser, apesar de todas essas dificuldades, nós vamos conseguir sair dessa e vamos recuperar a nossa cidade. Eu sei que será difícil. Vamos demorar pelo menos um ano para recuperá-la.
Ernani de Freitas, prefeito de Eldorado do Sul

Até o momento, seis cidades estão recebendo pessoas de Eldorado do Sul. De acordo com a prefeitura, os municípios que estão abrigando os habitantes de Eldorado do Sul são: Guaíba, Mariana Pimentel, Sertão Santana, Barra do Ribeiro, Porto Alegre e Gravataí.

Transporte da população está sendo feito por helicópteros, ônibus e até caminhões. Ao UOL o prefeito de Eldorado do Sul disse que há uma força tarefa para resgate e evacuação dos desabrigados.

Levamos todo mundo que conseguimos para cima da BR-290. Dali, começamos a distribuir todo mundo para cidades vizinhas, Gravataí, Porto Alegre e outras. A gente leva para lugar fixo, em abrigos das prefeituras, embarca e manda. O transporte é feito por helicóptero, por ônibus, por caminho, do jeito que dá. O objetivo é levar todo mundo para onde tem segurança e sem largar ninguém.
Ernani de Freitas (PDT), prefeito de Eldorado do Sul

A gente conseguiu ter a resolução pelo Dnit de um viaduto que tinha rompido, que foi feita a religação (...) caminhões podem passar e veículos de assistência podem passar usando a ponte de forma restrita para acessar essa localidade, levar alimentos em determinados pontos e poderemos agora viabilizar um acesso com mais força. Estamos recuperando as situações das estradas para fazer a retirada daquelas pessoas que querem sair.
Eduardo Leite (PSDB), governador

Todos os pontos da cidade estão submersos

A cidade está submersa, sem água e sem luz. O prefeito narra que, além das casas, não há um comércio em condições de voltar as atividades e que a comunidade eldoradense terá que ter apoio para conseguir suprimentos nas próximas semanas.

Continua após a publicidade

A previsão é que a cidade permaneça alagada pelos próximos dez dias. A prefeitura ainda apela para suporte aéreo e apoio com embarcações e jet-skis.

Porto Alegre ofereceu ajuda

Em entrevista horas depois, o prefeito de Porto Alegre ofereceu ajuda à população de Eldorado do Sul, com lugares nos abrigos. "Nesses momentos não existe fronteira, temos que ajudar quem precisa de ajuda", disse Sebastião Melo (MDB), sem informar se a capital teria capacidade para receber cerca dos 40 mil moradores de Eldorado do Sul.

Cidade é banhada pelas águas do Guaíba. Eldorado do Sul está situada na região metropolitana de Porto Alegre e está em área de preservação ambiental do Delta do Jacuí. O município possui 42.490 mil habitantes, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2021.

Chuvas deixaram 95 mortos no RS

O governador Eduardo Leite informou que subiu para 95 o número de mortos (4 estão em investigação). A atualização do número de vítimas é do final da tarde desta terça-feira (7).

Continua após a publicidade

Mais de um milhão de pessoas foram afetadas pelas chuvas no estado. São 131 desaparecidos e 372 feridos, segundo o boletim da Defesa Civil Estadual, divulgado no fim da tarde. Ao menos ficaram 159.036 desalojadas.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, 401 municípios gaúchos foram afetados pelas consequências dos temporais. Na região metropolitana de Porto Alegre, a água deixou pessoas ilhadas e fechou hospitais em Canoas. O clima é de "zona de guerra".

A previsão é de chuvas intensas e frrio em algumas áreas do estado as próximas 24 horas. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu alerta para tempestades entre hoje e amanhã. Pedro Osório, Bagé, Arroio Grande e outras cidades próximas à fronteira com Uruguai, devem ser afetadas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes