PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Papa Bento 16 rompe silêncio no Twitter e pede que fiéis orem por ele

Do UOL, em São Paulo

24/02/2013 10h20

Após silêncio de sete dias, o papa Bento 16 voltou a usar o Twitter para se comunicar com os fiéis e aproveitou para pedir orações dedicadas a ele e à Igreja Católica.  

O pontífice, que vai oficiar sua renúncia no dia 28 de fevereiro, também pediu confiança no que ele chamou de "providência divina".

"Neste momentoso, peço que orem por mim e para a Igreja, confiando como sempre na Providência divina."

A conta na rede social será fechada quando Bento 16 deixar o cargo. "Parece inimaginável que alguém possa continuar a usar uma ferramenta de comunicação tão popular e poderosa durante o período 'sede vacante' [sem ocupante]", disse a rádio Vaticano.
Em três meses de adesão ao Twitter, o papa já tinha mais de 1,5 milhões de seguidores, mesmo sem utilizar com frequência a ferramenta.

A previsão é que o último tuíte seja publicado entre os dias 27 e 28 de fevereiro, antes da aposentadoria.

A renúncia 

O papa Bento 16 anunciou sua renúncia no dia 11 de fevereiro em um discurso pronunciado em latim durante um encontro de cardeais no Vaticano. Ao justificar sua decisão, o pontífice de 85 anos alegou fragilidade por conta da idade avançada.

Mais álbuns

  • Bento 16 encerrará mandato com a cor da penitência; veja as roupas

  • Quem você acha que será o sucessor de Bento 16? Vote

  • Veja os cardeais brasileiros que vão votar na eleição do papa

O pontífice disse que "no mundo de hoje (...), é necessário o vigor tanto do corpo como do espírito, vigor que, nos últimos meses, diminuiu em mim de tal forma que eis de reconhecer minha incapacidade para exercer bem o ministério que me foi encomendado".

O Vaticano negou que uma doença tenha sido o motivo da renúncia. Mas, segundo o jornal "O Estado de S.Paulo", uma disputa interna de poder praticada por ex-aliados nos últimos meses pode ser uma das razões para a tomada de decisão do pontífice. Esta é a primeira vez na era moderna que um papa da Igreja Católica renuncia ao pontificado.

Já o jornal italiano "La Repubblica" relacionou à renuncia do pontífice a um relatório com cerca de 300 páginas sobre o escândalo do vazamento de documentos confidenciais da Santa Sé, redigido por três cardeais e entregue à Bento 16 em dezembro de 2012. O Vaticano reconheceu a existência do documento, mas descartou qualquer relação com a decisão do papa.

A renúncia de bento 16 será oficializada no dia 28 de fevereiro. E o cargo ficará vago até a eleição do próximo papa. A expectativa é  que o Conclave de cardeais, eleja um novo papa ainda em março, antes da Páscoa. O Vaticano anunciou que a eleição deve começar entre 15 e 20 de março. A data, no entanto, pode ser adiantada para o dia 10, caso os cardeais cheguem ao país.

Cinco cardeais brasileiros deverão participar do conclave. Segundo a última lista do Vaticano, há um total de 116 cardeais aptos a votar no próximo papa. Para participar da papa, o cardeal precisa ter menos de 80 anos. O Brasil tem um total de nove integrantes no Colégio Cardinalício do Vaticano, mas quatro deles já ultrapassaram a idade limite.

Em sua primeira aparição pública desde o anúncio da renúncia, o papa Bento 16 disse que tomou a decisão "pelo bem da igreja". Bento 16 agradeceu pelo "amor" e apoio dos fieis.

 

Internacional