PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ao deixar papado, Bento 16 diz que se torna "um peregrino a mais"

Do UOL, em São Paulo

28/02/2013 13h50

Ao chegar no início da tarde à residência de verão papal de Castel Gandolfo, no sul de Roma, Bento 16 agradeceu da sacada de seus aposentos à multidão de fiéis que foi até o local recepcioná-lo. Sob aplausos, afirmou que, com o fim do seu papado, se tornará "um peregrino a mais."

O pontificado dele terminou oficialmente às 20h (16h em Brasília) desta quinta-feira (28). Sem líder, a Igreja Católica ainda mantém incerta a data do conclave que irá definir o seu sucessor. A convocação formal para os cardeais eleitores se dirigirem a Roma será feita amanhã.

"Esse dia meu é diverso daqueles outros. Eu sou ainda pontífice, mas, depois das 20h [horário local] não sou mais, serei um peregrino a mais."

Bento 16 disse ser grato pelo afeto e carinho recebidos. "Estou feliz por estar com vocês e da vossa simpatia que me fazem muito bem, obrigado pela vossa amizade, vosso afeto", afirmou Bento 16 ao dirigir algumas poucas palavras ao público estimado, inicialmente, em cerca 7.000 fiéis.

Ele acrescentou ainda que irá trabalhar pelo bem comum com "todas as suas forças": "Vamos à frente pelo bem da Igreja, pelo bem de todos". Antes de se retirar, ele deu a benção aos fiéis presentes.
 
Bento 16 ficará em Castel Gandolfo, a cerca de 25 km do Vaticano, pelo próximos dois meses antes de se mudar em definitivo para um convento, atualmente em reforma, dentro do próprio Vaticano.
 

Saída do Vaticano

 
Bento 16 deixou o Vaticano por volta das 17h (13h em Brasília) desta quinta-feira (28), encerrando o seu pontificado de oito anos. A Sede Vacante, período em que a Igreja Católica fica sem papa, terá início oficialmente às 20h no horário local.
 
No período, as decisões administrativas do Vaticano ficam sob a responsabilidade do cardeal camerlengo Tarcisio Bertone, que também é secretário de Estado. A data para o conclave que escolherá o sucessor de Bento 16 ainda não foi definida. A convocação formal para os cardeais eleitores se dirigirem a Roma será feita amanhã.
 
Seu último ato como papa foi a publicação de um tuíte em que agradece o apoio. "Obrigado pelo vosso amor e o vosso apoio! Possais viver sempre na alegria que se experimenta quando se põe Cristo no centro da vida", diz a mensagem.
 
Pela manhã, Bento 16 se reuniu com os cardeais presentes em Roma para se despedir. Na ocasião, ele prometeu obediência ao seu sucessor.
 

A renúncia

O papa Bento 16 anunciou a sua renúncia no dia 11 de fevereiro. Ao justificar a sua decisão, o pontífice de 85 anos alegou fragilidade por conta da idade avançada. O Vaticano negou que uma doença tenha sido o motivo.

O jornal "O Estado de S.Paulo" chegou a apontar uma disputa interna de poder praticada por ex-aliados nos últimos meses como uma das razões para a tomada de decisão do pontífice. Esta é a primeira vez na era moderna que um papa da Igreja Católica renuncia ao pontificado.

Já o jornal italiano "La Reppublica" relacionou a renúncia a um relatório, entregue a Bento 16 em dezembro passado, que investigou as suspeitas de corrupção e escândalos sexuais dentro da Igreja. O Vaticano reconheceu a existência do documento, mas descartou qualquer ligação.

Cinco cardeais brasileiros deverão participar da eleição. Segundo a última lista do Vaticano, há um total de 116 cardeais aptos a votar. O Brasil tem um total de nove integrantes no Colégio Cardinalício, mas quatro deles já ultrapassaram a idade limite de 80 anos.

Internacional