Estado Islâmico reivindica ataque com mortos, feridos e reféns em Bangladesh

Do UOL, com Efe e Reuters

Pelo menos duas pessoas morreram e outras 26 ficaram feridas em um ataque realizado por homens armados, reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), contra um restaurante frequentado por estrangeiros na região diplomática de Dacca, em Bangladesh.

"Atendemos 28 feridos e dois deles morreram", disse Miraz Ul Islan, gerente do United Hospital, localizado no bairro nobre de Gulshan, onde acontece a ação do EI, e para onde estão sendo transferidas as vítimas, a maioria policiais, de acordo com a imprensa local e uma testemunha ouvida pela Agência Efe.

Segundo fontes citadas pelo jornal "The Daily Star", os dois mortos são comandantes da Polícia.

De acodo com fontes ouvidas pela Efe, os militantes do EI continuam no local. Veículos de imprensa de Bangladesh e fontes oficiais afirmam que há 20 reféns no estabelecimento, entre eles cidadãos estrangeiros. A polícia não confirma a informação.

Chef pediu ajuda pelo Facebook

O alvo do ataque é o restaurante Holey Artisan, especializado na cozinha mediterrânea. Seus chefs são dois argentinos. Um deles, Diego Rossini, estava no local no momento do incidente.

"Estão atirando. Por favor, chamem a polícia. Estou escondido no terraço", escreveu Rossini em uma rede social.

Horas mais tarde, ele confirmou pelo Facebook que tinha conseguido escapar do restaurante.

Um funcionário do estabelecimento, Sumon Reza, disse ao "The Daily Star" que vários homens armados com explosivos, pistolas e espadas invadiram o restaurante às 20h45 locais (11h45 em Brasília).

O EI reivindicou a autoria do ataque em mensagem divulgada pela agência jihadista Amaq e compartilhada pela consultoria americana SITE Intelligence Group através de sua conta no Twitter.

"Mais de 20 pessoas de diferentes nacionalidades foram assassinadas no ataque do EI em Dacca", diz a mensagem.

Mais cedo, o Departamento de Estado norte-americano disse no Twitter que a situação envolvia reféns. Uma testemunha que reside na região disse ter conseguido ouvir disparos e que a situação "parecia bastante ruim".

Bangladesh fica na Ásia, no delta do rio Ganges, fazendo fronteira com a Índia. De maioria muçulmana, o país tem sido palco uma onda de assassinatos dos defensores da laicidade, de intelectuais e de membros das minorias religiosas. Esses ataques têm sido atribuídos a grupos extremistas. Foram mais de 50 mortos em três anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos