Polícia prende oito e revisa para 4 o número de mortos em atentado em Londres

Do UOL, em São Paulo

A premiê britânica, Theresa May, declarou na manhã desta quinta-feira (23) que a polícia do Reino Unido prendeu oito pessoas suspeitas de conexão com o ataque terrorista ocorrido ontem nos arredores do Parlamento britânico, em Londres. Horas antes, o comando da polícia informou que o número de mortos foi revisado de 5 para 4: uma mulher de 43 anos, um homem de cerca de 50, o policial que foi esfaqueado e o autor do atentado. Das 29 pessoas que ficaram feridas, sete estão em estado grave.

Apesar das prisões, realizadas após buscas em seis endereços residenciais de Londres e Birmingham, o chefe da unidade antiterrorista da polícia londrina, Mark Rowley, disse que o culpado pode ter agido sozinho, porém motivado pelo "terrorismo internacional".

Ainda segundo Rowley, que falou a jornalistas nesta quinta-feira na frente da sede da Scotland Yard, não há evidências de possíveis "novas ameaças terroristas".

Vídeo mostra pessoa ferida após tiroteio em Londres

A polícia o identificou [o terrorista] e posso dizer que ele nasceu no Reino Unido e foi investigado pelo MI5 [agência de inteligência britânica] por suspeita de extremismo violento. Não houve informação de inteligência que ele cometeria um ato [terrorista]

Theresa May, em discurso no Parlamento

A chefe do Parlamento ainda divulgou a nacionalidade de alguns dos cerca de 40 feridos na área, um dos maiores pontos turísticos de Londres: 12 britânicos, dois romenos, quatro sul-coreanos, um alemão, um polonês, um irlandês, um chinês, um italiano, um norte-americano e dois gregos.

Em nota, o governo brasileiro informou que não há registro de brasileiros entre as vítimas.

Como foi o atentado

Segundo os relatos feitos por testemunhas e pela polícia britânica, o terrorista atropelou vários pedestres com um carro, incluindo três policiais, na ponte de Westminster, que leva ao Parlamento e ao Big Ben, principal atração turística da capital inglesa.

Vídeos e fotos mostraram os feridos estirados na ponte e pessoas tentando prestar atendimento antes da chegada das equipes de socorro.

Uma mulher, que caiu no rio Tâmisa após o veículo passar, foi resgatada com ferimentos graves e levada para o hospital. 

O terrorista continuou dirigindo o veículo até bater no muro do Parlamento. Ele desceu do carro com uma faca na mão e atacou dois policiais --um deles morreu. Em seguida, o agressor foi morto a tiros.

O ataque ocorreu no dia em que Bruxelas relembrava o primeiro aniversário dos ataques que deixaram 32 mortos no aeroporto e no metrô da cidade. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos