Topo

Americana pode ser presa por esquecer de devolver livros à biblioteca

Melinda Sanders-Jones emprestou dois livros na biblioteca em 2017 e esqueceu de devolvê-los - Reprodução/CNN
Melinda Sanders-Jones emprestou dois livros na biblioteca em 2017 e esqueceu de devolvê-los Imagem: Reprodução/CNN

Do UOL, em São Paulo

06/11/2019 14h39

Uma americana corre o risco de ser presa por não devolver dois livros que pegou emprestado em uma biblioteca pública de Michigan. Ela descobriu por acaso que havia um mandado devido ao empréstimo e agora passa por audiências.

Melinda Sanders-Jones pegou dois livros emprestados em 2017 e esqueceu de devolvê-los. Ela foi avisada dos atrasos quando tentou usar uma impressora na Charlotte Community Library e foi impedida devido à pendência. Ela então encontrou os livros na estante de seu filho e os devolveu.

Após a devolução, a mulher esperava para receber uma notificação da multa pelo atraso. Porém, na semana passada, Melinda descobriu que havia um mandado contra ela.

Ela passava por uma promoção na empresa onde trabalha e, na hora de seu chefe checar seus antecedentes criminais, constou o mandado. Quando ele a contou pelo telefone, ela riu, mas ele garantiu que falava sério. "Eu estava tipo, não, não tem jeito. Não tem jeito, eu tenho um mandado", contou Melinda ao canal WILX, filiado da CNN.

A diretora financeira da biblioteca, Marlena Arras, contou à CNN que foram enviadas diversas notificações para Melinda. Depois de quatro meses, a biblioteca enviou um aviso: "Se você não devolver esses materiais em duas semanas, enviaremos à Unidade de Crimes Econômicos", contou Marlena.

O caso se encaixa em roubo de propriedade que, no Código Penal do Estado do Michigan, pode levar a 93 dias de prisão e uma multa de 500 dólares (R$2 mil) se o valor roubado for menor que 200 dólares (R$800).

Ela já teve uma primeira audiência sobre o caso e uma segunda está marcada para ocorrer amanhã.

"Realmente não acho que ir para a cadeia por esses dois livros seja normal, e definitivamente não queria roubar suas propriedades", disse Melinda.

Internacional