Topo

Roger Waters grava vídeo de apoio a Evo Morales e ex-presidente agradece

Evo Morales chega à Cidade do México -
Evo Morales chega à Cidade do México

Do UOL, em São Paulo

15/11/2019 12h35

O músico inglês Roger Waters gravou nesta semana um vídeo de apoio ao ex-presidente da Bolívia Evo Morales, exilado no México após sua renúncia. Evo agradeceu hoje no Twitter a homenagem do ex-integrante da banda Pink Floyd.

"Estou muito agradecido pelas suas palavras de alento e reconhecimento do irmão Roger Waters. Nossa luta pacífica e democrática contra o golpe de Estado transcende fronteiras. Com repressão militar-policial e mentiras, os golpistas que prometiam liberadade impõem um Estado ditatorial", escreveu Evo.

Conhecido por seu engajamento em causas progressistas, Water afirmou no vídeo que espera que o exílio de Evo seja curto.

"Evo, se puder ver isso, espero que o exílio seja curto porque sua gente precisa de você. Precisa de um líder como você. Primeiro presidente indígena na América Latina, realizou um trabalho maravilhoso, tirando tanta tente da pobreza, dando valor e revalorizando nosso sentido de dignidade".

Waters continuou: "Você levou a democracia até cada pedaço de sua terra. É por isso mesmo que agora tentam roubar seu povo. Força, Evo. Hoje, o mundo, a verdade e a história estão ao seu lado, esperando que possa voltar o quanto antes para sua casa, à sua amada Bolívia. Será o melhor para sua gente e para você".

O músico encerrou o vídeo com as seguintes declarações: "Não sou um homem religioso, mas se fosse estaria rezando para que tudo isso acabasse logo. Onde quer que esteja, meu coração está com você, assim como também milhões de corações ao redor do mundo, que acreditam nos direitos humanos, na democracia, na igualdade e na liberdade dos povos, com a mesma força que rechaçamos o terror, o fascismo e o totalitarismo, que é o que está acontecendo com a Bolívia. Que você volte o quanto antes que possa guiar seu país a um futuro brilhante. Evo, querido, estamos com você."

Após a renúncia e saída de Evo do país, a senadora de oposição Jeanine Áñez, do partido Unidad Demócrata, declarou-se presidente da Bolívia. Ela removeu a cúpula militar e prometeu eleições "no menor tempo possível".

História da Bolívia é marcada por golpes de Estado

Band Notí­cias

Internacional