PUBLICIDADE
Topo

Espanha amplia medidas econômicas de combate ao coronavírus

Pablo Iglesias, vice-primeiro-ministro da Espanha - Mariscal / POOL / EFE / AFP
Pablo Iglesias, vice-primeiro-ministro da Espanha Imagem: Mariscal / POOL / EFE / AFP

Do UOL, em São Paulo

31/03/2020 14h48

O governo espanhol anunciou, hoje, novas medidas para ajudar trabalhadores independentes, pequenas empresas e os mais vulneráveis durante o impacto econômico da pandemia de coronavírus.

O vice-primeiro-ministro da Espanha, Pablo Iglesias, afirmou que as medidas visam "garantir, mais do que nunca, que as pessoas não percam seu direito constitucional à moradia".

As determinações incluem extensão dos contratos de aluguel e suspensão dos despejos por seis meses desde o início do estado de emergência.

O governo ainda promete dar até 900 euros (cerca de R$ 5 mil) para quem tem problema para pagar o aluguel e cobrirá quaisquer dívidas relacionadas a pagamentos de aluguel para pessoas em situações vulneráveis. Também estão proibidos os cortes de água, luz e gás.

Quanto aos trabalhadores independentes e às pequenas empresas, o governo permitirá um atraso nos pagamentos do seguro social e doará até 440 euros (cerca de R$ 2,5 mil) por mês para aqueles que perderam o emprego durante o estado de emergência ou não têm direito ao seguro desemprego.

A suspensão dos pagamentos da dívida para a indústria do turismo por até um ano também está entre as medidas, que ajudarão cerca de 500 mil famílias, de acordo com Iglesias.

Coronavírus