PUBLICIDADE
Topo

China terá lista de turistas 'proibidos' após Grande Muralha ser danificada

A Grande Muralha da China  - Getty Images
A Grande Muralha da China Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

07/04/2020 16h34

A China vai criar uma lista de turistas 'proibidos' após a Grande Muralha, uma das construções mais famosas do mundo, ter sido vandalizada. O monumento turístico estava fechado para visitas por causa da pandemia do novo coronavírus e foi reaberto no dia 24 de março. As autoridades chinesas esperam que a ameaça de passar por vergonha pública impeça os turistas de desfigurar o ícone mais conhecido do país, diz o site da CNN.

O setor Badaling da Grande Muralha permaneceu fechado por dois meses. No dia da reabertura, um visitante foi flagrado por uma câmera de monitoramento usando uma chave para danificá-la.

A notícia revoltou vários internautas, que subiram a hashtag "Grande Muralha vandalizada no primeiro dia em que foi reaberta" na rede social Weibo, que se tornou um de seus assuntos mais comentados.

Em resposta, a entidade estatal responsável pela zona de turismo de Badaling implementou uma série de novas medidas disciplinares contra o vandalismo, em vigor desde ontem. De acordo com sua conta na Weibo, foram impostas "sanções administrativas a sete tipos de vandalismo contra relíquias culturais, incluindo entalhes e outros danos intencionais".

Turistas pegos infringindo as regras serão adicionados a uma lista, que será anunciada regularmente ao público, e poderão ser impossibilitados de comprar ingressos para ver a Muralha da China, por exemplo. Eles também poderão ser barrados em outras atrações culturais e até mesmo entregues a agentes de segurança, se cometerem algum tipo de crime.

A cerca de 70 quilômetros de Pequim, Badaling é a seção mais popular do muro para turistas.

Segundo o Governo Municipal de Pequim, o vândalo foi encontrado e confessou ter entalhado a parede com uma chave.

Internacional