PUBLICIDADE
Topo

Filha do "paciente um" com coronavírus na Itália nasce em Milão

Moradores caminham pelas ruas de Codogno, na região da Lombardia, na Itália - Miguel Medina/AFP
Moradores caminham pelas ruas de Codogno, na região da Lombardia, na Itália Imagem: Miguel Medina/AFP

Do UOL, em São Paulo

08/04/2020 09h48Atualizada em 08/04/2020 14h45

A Itália amanheceu com uma notícia que, segundo os jornais, encheu os italianos de esperança em meio à crise provocada pelo novo coronavírus: o nascimento de Giulia, a filha do primeiro paciente diagnosticado com a covid-19 no país. A menina nasceu ontem no hospital Buzzi, em Milão.

Mattia, de 38 anos, foi internado no dia 20 de fevereiro no hospital de Codogno, na região da Lombardia, no norte da Itália, com uma pneumonia grave.

Ele foi o primeiro caso do novo coronavírus na Itália não relacionado com a China, ou seja, o seu diagnóstico apontou que já havia transmissão comunitária.

Seu estado piorou e ele foi levado para o hospital San Matteo em Pavia. Após quase um mês isolado, ele recebeu alta no dia 21 de março, quando reencontrou a mulher e a família. "Nós o estabilizamos e permanecemos em estado crítico por algum tempo. Felizmente, como esperado de um jovem que não tinha comorbidades e também estava em forma, ele começou a melhorar", disse Rafaele Bruno, diretor do Centro de Doenças Infecciosas, ao jornal italiano Corriere Della Sera.

Em seu perfil no Facebook, o presidente do governo da Lombardia, a região da Itália mais afetada pelo novo coronavírus, comemorou o nascimento de Giulia. "Que boa notícia! Giulia nasceu, filha de Mattia e Valentina. À mamãe e ao papai de Codogno meus parabéns, e de toda a Lombardia. Seja bem-vinda Giulia!!! E uma vida alegre!", postou Atilio Fontana.

O único revés na recuperação de Mattia foi a morte do pai poucos dias antes de receber alta, também vítima da covid-19.

(Com informações da Ansa)

Coronavírus