PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

'Muro de Mães': Mulheres protegem manifestantes de violência policial

O grupo Muro de Mães esteve nos protestos para proteger os manifestantes - Reprodução/Twitter
O grupo Muro de Mães esteve nos protestos para proteger os manifestantes Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

20/07/2020 11h26Atualizada em 20/07/2020 12h02

Na cidade de Portland, em Oregon, nos Estados Unidos, cerca de 30 mães usaram seus próprios corpos para proteger manifestantes que protestavam contra a brutalidade policial e o racismo dos agentes federais. O grupo se autodenomina Muro de Mães.

O protesto aconteceu no sábado (18). Os vídeos mostram os grupos de mães, vestidas de camisetas brancas e capacetes de ciclismo gritando palavras de ordem, defendendo os manifestantes.

A convocatória foi feita nas redes sociais por Bev Barnum. "Como muitos de vocês leram e viram no noticiário, os manifestantes estão sendo feridos (sem justa causa)", afirmou. "E, ultimamente, os manifestantes estão sendo despojados de seus direitos ao serem colocados em carros sem identificação policial", prosseguiu.

As mulheres fizeram a proteção dos manifestantes que protestavam em frente ao tribunal de Justiça por horas até que os agentes atiraram bombas de gás para dispersar a multidão.

Segundo Barnum disse ao Buzzfeed, a maioria das mães ali presentes, inclusive ela, nunca havia participado de uma manifestação antes.

Os agentes federais foram enviados para a cidade pelo presidente Donald Trump depois que os manifestantes afirmaram que os policiais locais estavam violando seus direitos.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que informou a matéria, Oregon é um estado dos Estados Unidos, e não uma cidade. A informação foi corrigida.

Internacional