PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Guru de seita de escravas sexuais é condenado a 120 anos de prisão

Keith Raniere, condenado a 120 de prisão por liderar seita de escravas sexuais - Site oficial/Divulgação
Keith Raniere, condenado a 120 de prisão por liderar seita de escravas sexuais Imagem: Site oficial/Divulgação

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/10/2020 18h44

Keith Raniere foi condenado hoje (27) a 120 anos de prisão depois de ser condenado por sete crimes relacionados ao que os promotores descreveram como uma seita sexual dentro do NXIVM, uma organização da qual ele era o líder e co-fundador.

Em junho de 2019, Raniere, de 60 anos, foi considerado culpado após um julgamento de seis semanas, por extorsão, conspiração de extorsão, conspiração de fraude eletrônica, conspiração de trabalho forçado, conspiração de tráfico sexual e duas acusações de tráfico sexual. Ele foi preso em março de 2018.

A NXIVM foi fundada em 1998 como um programa de auto aperfeiçoamento. No entanto, denúncias de integrantes disseram que Raniere era, na verdade, o líder de um esquema de escravas sexuais. Testemunhas afirmaram que foram forçadas a realizar sexo, além de terem sido marcadas a ferro e forçadas também a realizar abortos.

A audiência de hoje não foi televisionada e os presentes não foram autorizados a levar dispositivos eletrônicos para o tribunal - política padrão do tribunal federal nos Estados Unidos.

Diversas vítimas e suas famílias compareceram à apresentação da sentença. Os promotores pediram prisão perpétua para Raniere, enquanto seus advogados defenderam uma sentença de 15 anos. 15 das vítimas de Raniere leram declarações de impacto antes que a sentença fosse proferida pelo juiz Nicholas G. Garaufis.

A seita do guru sexual chegou a atrair atrizes e personalidades renomadas ao redor do mundo. Allison Mack, atriz de Smalville, se declarou culpada em 2018 por conspiração, extorsão e trabalho escravo, mas afirmou ter sido vítima de uma lavagem cerebral realizada pelo guru.

Internacional