PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

Jovem que filmou morte de Floyd celebra condenação e é exaltada por Oprah

Pessoas seguram cartazes com pinturas de George Floyd, Daunte Wright e Philando Castile após a divulgação do veredicto do julgamento de Derek Chauvin, ex-policial de Minnesota que matou Floyd asfixiado - Carlos Barria/Reuters
Pessoas seguram cartazes com pinturas de George Floyd, Daunte Wright e Philando Castile após a divulgação do veredicto do julgamento de Derek Chauvin, ex-policial de Minnesota que matou Floyd asfixiado Imagem: Carlos Barria/Reuters

Colaboração para o UOL

21/04/2021 10h40

Em meio às comemorações da condenação do ex-policial Derek Chauvin pelo assassinato de George Floyd, a adolescente que filmou a cena também foi celebrada. Em maio do ano passado, Darnella Frazier tinha 17 anos e andava pelas ruas de Minnesota (EUA) com um primo pequeno quando se deparou com o crime.

Com o celular, a jovem filmou os momentos finais de Floyd, inclusive a chocante cena em que ele pedia para Chauvin tirar o joelho de seu pescoço, porque já não conseguia mais respirar. O então policial ficou ajoelhado por mais de nove minutos no pescoço de Floyd, o que causou a morte por asfixia. O vídeo circulou rapidamente pelas redes sociais, chegou a diferentes países e inspirou novos protestos do movimento Black Lives Matter.

Ontem, Chauvin foi condenado por assassinato não intencional em segundo grau, assassinato em terceiro grau e homicídio culposo. A opinião pública aponta que o vídeo foi um elemento crucial do julgamento. "Não há caso sem ela (Darnella). A gravação é um dos documentos de direitos civis mais importantes da geração", disse Ann Marie Lipinsku, curadora da Fundação Nieman de Jornalismo na Universidade de Harvard.

A apresentadora Oprah Winfrey também se manifestou sobre a condenação. "Aliviada e emocionada de jeitos que não esperava. Chorei lágrimas de alegria enquanto cada veredito era lido. Sou grata de presenciar as testemunhas e seus relatos. Grata a Darnella Frazier", escreveu no Instagram.

Ao ver o veredito, Darnella comentou pelo Facebook. "Obrigada! George Floyd, nós conseguimos! A justiça foi feita", falou a jovem. Outros tuites celebraram a coragem dela.

"Lembrem-se: nenhum dos colegas de Chauvin o entregou. Ele matou um homem em plena luz do dia e estamos aqui agora porque uma corajosa garota negra chamada Darnella Frazier continuou gravando apesar de ter sido ameaçada por policiais que estavam lá", disse o autor Mikel Jollett. Outras celebridades também se manifestaram sobre o caso.

Internacional