Conteúdo publicado há 1 mês

Donald Trump diz que julgamento em NY é um 'ataque' aos Estados Unidos

O ex-presidente norte-americano Donald Trump classificou como "ataque aos Estados Unidos" o julgamento pelo qual se sentará no banco dos réus em um tribunal criminal de Nova York, a partir desta segunda-feira (15).

O que aconteceu

O candidato republicano chegou ao tribunal pouco depois das 9 h (10 h pelo horário de Brasília). Trump foi intimado a comparecer a uma audiência com o juiz de origem colombiana Juan Manuel Merchan, da Suprema Corte de Manhattan, para responder a um processo sobre o pagamento de US$ 130 mil à ex-atriz pornô Stormy Daniels.

O pagamento seria para, supostamente, comprar o silêncio da atriz sobre um relacionamento extraconjugal e, assim, proteger sua campanha de 2016, quando venceu a democrata Hillary Clinton na eleição presidencial.

Isso é um ataque aos Estados Unidos. Nunca aconteceu nada parecido. Donald Trump, ao chegar ao tribunal onde será julgado

O empresário, de 77 anos, não foi acusado pelo pagamento em si, mas por disfarçá-lo como despesas legais da Organização Trump, a empresa da família, o que pode resultar em uma pena de até quatro anos de prisão.

A sentença, no entanto, não seria um obstáculo para sua candidatura nas eleições presidenciais de 5 de novembro, quando enfrentará pela segunda vez o democrata Joe Biden, que o derrotou na disputa de 2020.

Ele também poderia tomar posse como presidente, embora em uma situação inédita.

Trump argumenta perseguição

No sábado (13), em um comício na Pensilvânia, Trump voltou a afirmar que é vítima de perseguição judicial e política dos democratas, que querem impedir seu retorno à presidência. "Nossos inimigos querem tirar minha liberdade porque nunca permitirei que tirem a de vocês", declarou a seus simpatizantes.

Continua após a publicidade

Na ocasião, Trump garantiu que vai prestar depoimento no julgamento, que pode durar entre seis e oito semanas.

O processo judicial começa com a seleção dos 12 jurados que terão a responsabilidade de declarar por unanimidade se o magnata é "culpado" ou "inocente", fase que pode demorar vários dias.

Os 12 finalistas e seis suplentes serão selecionados após as resposta a um questionário minucioso sobre as suas preferências políticas e, sobretudo, sobre sua imparcialidade e capacidade de definir o destino de um dos políticos mais influentes dos últimos anos, tanto nos Estados Unidos como no mundo.

O julgamento terá de demonstrar que Trump tinha consciência dos pagamentos, pelos quais Cohen já foi condenado.

*Com informações da AFP, em Nova York (EUA)

Deixe seu comentário

Só para assinantes