PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Uruguai ressalta que pretende "avançar em acordos com outros países"

08/07/2021 19h48

Montevidéu, 8 jul (EFE).- O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, afirmou nesta quinta-feira, durante a cúpula do Mercosul, que pretende "avançar em acordos com outros países" e garantiu que isso não significa enfraquecer nem violar a regra do consenso.

"O Uruguai acredita na regra do consenso, como tem atuado, e vamos respeitar o ordenamento jurídico vigente do Mercosul", disse o mandatário durante o encontro virtual.

No dia anterior, ao longo do Conselho do Mercado Comum (CMC), o país expressou a ideia de começar a conversar com outros para negociar "acordos comerciais fora do bloco".

"O mundo já está indo muito rápido, o mundo está se entrelaçando comercialmente e a covid-19, e o final dela, vai fazer essas negociações dispararem", declarou Lacalle Pou.

Na visão do mandatário uruguaio, "está claro que o mundo está avançando e não vai nos esperar".

"Por isso, amigos presidentes, com tranquilidade e um conceito do Mercosul, queremos dizer, como já foi informado ontem, que o Uruguai vai além. Espero que sigamos todos juntos, mas o que está claro é que estamos indo além", comentou.

O governante ressaltou que concorda com as palavras do presidente argentino, Alberto Fernández, sobre um Mercosul "mais produtivista" e frisou que o Uruguai tem "vocação de integração" e um "interesse particular" com os países do bloco.

Segundo ele, o país está olhando com atenção para vários assuntos, como a hidrovia Paraguai-Paraná e a do rio Uruguai. Defendeu também que os membros do bloco devem trabalhar nas passagens fronteiriças, unificá-las e trabalhar em políticas de fronteira.

Nas palavras de Lacalle Pou, o Uruguai tem "vocação aberturista" e que o bloco "deve seguir avançando com a União Europeia".

"Já dissemos mais de uma vez: as tentativas fracassadas geram ceticismo e desconfiança. O Uruguai quer avançar com o Mercosul, no qual temos mais força, mais dimensão e mais poder de negociação com o mundo", concluiu.

Meio Ambiente