Topo

Em eleição indireta, presidente da Assembleia é eleito governador do Tocantins

Do UOL Notícias<br/> Em São Paulo

08/10/2009 20h56

Confirmando favoritismo, o atual presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins, Carlos Henrique Gaguim (PMDB), venceu as eleições indiretas ao governo do Estado com 22 dos 24 votos dos representantes da Casa. O pleito foi realizado na noite desta quinta-feira (8) na sede da assembleia.

Gaguim já havia assumido o governo após a cassação dos eleitos em 2006, Marcelo Miranda (PMDB) e seu vice, Paulo Sidnei (PPS), pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), por abuso de poder político durante a campanha. Ele vai comandar o Estado até o final de 2010.

TSE confirmou cassação do governador do Tocantins e determinou eleição indireta

  • 01.04.2009 - Mastrangelo Reino/Folha Imagem

    No fim de junho, Marcelo Miranda (f) e seu vice, Paulo Antunes (PPS), tiveram seus mandatos cassados por prática de abuso de poder econômico, compra de votos, conduta proibida a agente público e uso indevido de meios de comunicação na eleição 2006



Nascido em Ceres (GO), Carlos Henrique Gaguim, 48, exerceu três mandatos na Assembleia Legislativa - no último, foi eleito com 11.607 votos. Também foi vereador por duas vezes em Palmas.

Nas eleição indireta realizada hoje, Gaguim concorreu com o médico e ex-vereador Joaquim Rocha (PHS) e com o professor Adail Pereira Carvalho (PSDC), diretor da Escola Técnica Federal de Palmas (ETF).

Entenda
Miranda e Sidnei foram acusados de distribuir a eleitores recursos, como brindes, prêmios, casas, óculos, cestas básicas e consultas médicas por meio do programa social do governo, sem autorização legislativa e sem previsão orçamentária. No dia 8 de setembro deste ano, o TSE confirmou a cassação do governador e de seu vice, que já havia sido decidida em junho de 2009.

A denúncia foi feita pelo segundo colocado nas eleições, o tucano José Wilson Siqueira Campos. O TSE, entretanto, entendeu que ele não deveria tomar posse porque não obteve a maioria dos votos válidos. Desta forma, o tribunal determinou a realização de eleição indireta pela Assembleia Legislativa. Miranda não recorreu.

O PSDB contestou a decisão no Supremo, pedindo a suspensão do pleito indireto. A sigla alegou que a modalidade representa um "retrocesso". Os ministros decidiram manter as eleições, entendendo que a lei que prevê a escolha do novo governador não fere a Constituição Federal.

Mais um candidato disputaria o cargo, o ex-prefeito de Palmas Derval de Paiva (PMDB), mas ele desistiu da candidatura no começo deste mês.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber