Topo

Secretário de Tocantins nega ter jantado com garota de programa paga por Cachoeira

Do UOL, em São Paulo

2012-05-17T15:50:25

2012-05-17T15:59:59

17/05/2012 15h50Atualizada em 17/05/2012 15h59

O secretário de Relações Internacionais do Tocantins, Eduardo Siqueira Campos, filho do governador Siqueira Campos, negou ter jantado com uma garota de programa paga pelo contraventor Carlinhos Cachoeira.

Segundo o colunista Leandro Mazzini, do Congresso em Foco, a Polícia Federal possui gravações entre Cachoeira e o ex-diretor da empresa Delta Claudio Abreu na qual ambos falam sobre a contratação da prostituta para fazer um “agrado” ao secretário, considerado por eles o homem forte do governo do Tocantins. O objetivo do agrado seria obter facilidades para os negócios da Delta e de Cachoeira no Estado.

De acordo com a coluna, as gravações indicam que o jantar teria ocorrido em 19 de maio do ano passado, em Goiânia. Na mesma data, Cachoeira teria ligado para a garota de programa e combinado o encontro. Em nota, o secretário nega a ocorrência do jantar e diz que "em maio do ano passado estava vivendo um momento pessoal difícil".

“Sobre minha ida a Goiânia no período, esclareço que essa foi a primeira vez que lá estive, após a tragédia aérea naquela cidade que vitimou meu filho Gabriel, de apenas 10 anos, e outras cinco pessoas queridas por nossa família”, afirmou, referindo-se ao acidente que matou seu filho em janeiro de 2011.

“Por causa disso, deixo bem claro que o motivo dessa minha primeira ida a Goiânia após apenas três meses e 15 dias da tragédia familiar na qual passei, não me permite imaginar qualquer comportamento meu associado à situação perniciosa citadas no diálogo. Perdi meu filho, o que, por si só é lamentável e certamente mais crível do que qualquer conversa de terceiros”, acrescenta o secretário.

Eduardo Siqueira Campos diz ainda que não há gravações da PF nas quais seja interlocutor e que o fato de conhecer Cachoeira e Abreu “não permitiu que o grupo investigado encontrasse na administração estadual do Tocantins amparo para qualquer intenção, ou mesmo tentativa, de aqui fazerem prosperar os seus negócios.”

Segundo a nota, o governo do Tocantins tem quatro contratos com a Delta, que somam R$ 114 milhões. O único assinado na gestão de Siqueira Campos, diz o texto, foi um contrato de R$ 14,7 milhões firmado para a realização de serviços de recuperação de uma rodovia. Eduardo Siqueira Campos diz que, em razão de problemas de caixa, o governo pagou apenas R$ 1,3 milhão pelo serviço, que já foi concluído.

Mais Política