Vice de Tancredo e governador de MG por 2 vezes, Hélio Garcia morre em BH

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

  • Folha de S.Paulo

Vice-governador do ex-presidente Tancredo Neves e seu sucessor à frente do governo de Minas Gerais quando o mineiro lançou-se candidato por eleição indireta na sucessão do general João Batista de Figueiredo, último presidente da ditadura militar, o ex-governador Hélio Garcia, 85, morreu por volta de 8h desta segunda-feira (6), no Hospital da Unimed, em Belo Horizonte. O velório do ex-governador será realizado no cemitério Parque da Colina, em Belo Horizonte, a partir de 14h. A cerimônia de cremação do corpo está prevista para 17h.

Os últimos anos de vida do ex-governador foram de reclusão. Com problemas de saúde, Garcia não saía de casa. Há alguns anos, o ex-governador foi diagnosticado com mal de Alzheimer e teve problemas circulatórios, osteoporose e insuficiência coronária. Usava marcapasso em decorrência de uma arritmia.

Garcia havia sido internado na semana passada para tratamento de uma embolia pulmonar e estava com a saúde fragilizada. Ele deu entrada no Hospital da Unimed no dia 28 de maio e seu quadro se agravou.

Garcia começou a vida política em 1963 como deputado estadual. Foi ainda prefeito de Belo Horizonte em 1983. Antes de se aposentar, era filiado ao PTB. Foi também da UDN, Arena, PP e PMDB.

Ele foi governador de Minas Gerais entre 1984 e 1987 (quando substituiu Tancredo Neves), e entre 1991 e 1995, em eleição direta. Garcia foi um dos principais articuladores de um acordo político em Minas Gerais que garantiu a repetição no Estado das negociações que viabilizaram a formação da Aliança Democrática, coligação do PMDB com a Frente Liberal para o lançamento da candidatura indireta de Tancredo Neves à Presidência em 1984.

Pouco afeito a holofotes, o ex-governador deixou para o folclore político uma coleção de frases de efeito. "Política deve ser feita à noite, de chapéu e sobretudo, dentro de um táxi em movimento" era uma delas.

Início de governo é igual a caminhão de porco. No começo, eles berram. Mas é só jogar a primeira e o caminhão começar a andar, que os porcos se ajeitam e ficam quietinhos

Hélio Garcia

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), divulgou nota sobre a morte do político. "Foi com profundo pesar que recebi a notícia do falecimento do ex-governador Hélio Garcia. Homem público com uma trajetória de inestimáveis serviços prestados ao Estado e ao país, Hélio Garcia era uma das mais importantes referências da política mineira. Minas perde uma liderança que sempre se pautou pela sensatez, serenidade e espírito democrático. Aos familiares, manifesto minha sincera e afetuosa solidariedade neste momento." (Com Estadão Conteúdo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos